Mercado abrirá em 2 h 32 min
  • BOVESPA

    110.132,53
    +346,23 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.200,59
    -535,89 (-1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,99
    -0,72 (-1,58%)
     
  • OURO

    1.818,30
    +7,10 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    16.923,22
    -1.055,95 (-5,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    330,08
    -40,44 (-10,91%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.373,31
    -17,78 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.537,31
    +240,45 (+0,91%)
     
  • NASDAQ

    12.186,75
    +34,50 (+0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3435
    +0,0058 (+0,09%)
     

Métrica interna usada pelo Facebook para detectar discurso de ódio está em alta

Ramon de Souza
·1 minuto de leitura

A situação não está nada legal lá nos EUA — a contagem das cédulas eleitorais está prestes a terminar, indicando se Donald Trump será reeleito ou se Joe Biden ganhará o pleito deste ano. Apoiadores dos candidatos, naturalmente, estão se engalfinhando nas redes sociais, mas, graças aos jornalistas do BuzzFeed, só agora temos números concretos a respeito dessa disputa online.

O jornal teve acesso a uma postagem realizada por um colaborador do Facebook na qual o próprio revela a existência de uma métrica interna para detectar a probabilidade de disseminação de discurso de ódio na plataforma. Tal radar, apelidado como tendência de “incitação à violência”, registrou um aumento de 45% em sua pontuação geral ao longo dos últimos cinco dias, indo de 400 para 579.

O algoritmo leva em conta uma análise de termos de pesquisa e hashtags “perigosas” mais populares no momento, sendo que, atualmente, a lista inclui desde tags referentes a slogans da campanha Trump (como #DrainTheSwamp, #Trump2020 e #KeepAmericaGreat) até menções a teorias da conspiração como a QAnon.

<em>Imagem: Reprodução/BuzzFeed News</em>
Imagem: Reprodução/BuzzFeed News

“Eu não entraria em pânico porque a maioria dessas hashtags não é muito comum, mas parece ser uma tendência de construção que, idealmente, vamos deter antes que ganhe impulso”, explica o funcionário.

“Embora essas hashtags não sejam tão explicitamente arriscadas quanto #RiggedElection e #VoterFraud, elas promovem ideias semelhantes; uma vez que temos a aprovação para bloquear essas hashtags, seria ótimo se pudéssemos criar um padrão para essas hashtags ‘limítrofes’”, prossegue o colaborador.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: