Mercado abrirá em 5 h 23 min

Médicos e enfermeiros vacinados no México dizem ter recebido injeção de ânimo

·2 minuto de leitura

Dezenas de médicos e enfermeiros sentiram ter recuperado a "tranquilidade" e a força para continuar a luta contra a pandemia de covid-19, após serem vacinados contra a doença neste domingo (27) no México.

"Nos dá tranquilidade porque sabemos que a vacina é confiável e temos todas as medidas de precaução aqui e em qualquer lugar", disse à AFP Claudia Leal, enfermeira que atende pacientes com covid-19 desde o início da crise sanitária no estado de Nayarit (oeste).

Leal faz parte do pessoal de saúde que viajou de outros estados do país à Cidade do México como reforço diante do número crescente de hospitalizações nas últimas semanas.

Perto dela, outros trabalhadores sanitários faziam fila em um campo militar da cidade para receber a primeira dose do imunizante desenvolvido pela associação de laboratórios americano Pfizer e alemão BioNTech. Durante o dia, as autoridades pretendiam aplicar 3.900 doses no local.

Uma vez recebida a injeção, os médicos e enfermeiros se dirigem a uma área de descanso, onde têm seus dados anotados para receber a segunda dose em três semanas.

"Primeiro (sentimos) grande tranquilidade, sobretudo os que estamos na frente da luta com os pacientes. Uma satisfação e um pouquinho de alegria", disse à imprensa Emmanuel Tintori, médico do Exército, que atende casos de covid-19 na capital.

Na mesma guarnição, Nayeli Casas, enfermeira que atua em Ciudad Juárez (norte), na fronteira com os Estados Unidos, e que também chegou para reforçar o trabalho na Cidade do México, disse ter recebido uma injeção de ânimo para continuar a luta contra a doença.

"Eu me sinto um pouco nervosa (...), me sinto um pouco estranha, mas que tudo seja pela nossa saúde e para poder continuar atendendo pacientes (com) covid", afirmou.

Um primeiro lote de 3.000 doses da vacina Pfizer/BioNTech chegou ao México na quarta-feira passada; na quinta-feira começou a imunização, cuja primeira etapa é voltada para trabalhadores da saúde.

No sábado, chegou uma segunda remessa com 42.900 doses, que serão distribuídas na capital e no estado de Coahuila (norte), onde começará a vacinação.

O país latino-americano assinou convênios no valor de 1,659 bilhão de dólares com vários laboratórios para comprar até 200 milhões de doses que permitirão imunizar, gratuitamente, até 116 milhões de mexicanos entre 2020 e 2021, segundo a Secretaria da Fazenda.

No México, com 129 milhões de habitantes, a pandemia provocou 122.026 mortes e 1.377.217 casos confirmados.

yug/axm/lda/mvv