Mercado abrirá em 1 h 36 min

Mãe acusada de matar filho de um ano em Caxias continuará presa

A juíza Daniele Lima Pires Barbosa, da Central de Audiência de Custódia de Benfica (CEAC), julgou regular o mandado de prisão expedido pela 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias e a prisão preventiva de Beatriz Amorim da Silva, de 23 anos. Acusada de matar o próprio filho em outubro do ano passado com a ajuda do ex-namorado Lucas Ferreira Costa, ela foi presa neste sábado, em Ilha Grande.

Veja vídeo: Homens de fuzil trocam tiros no Leblon, na Zona Sul do Rio

“Cabe à CEAC, portanto, avaliar tão somente a regularidade da prisão e a validade do mandado de prisão, além de determinar a apuração de eventual abuso estatal no ato prisional. Sendo regulares o ato prisional e o mandado de prisão no caso concreto, e não havendo requerimentos de mérito formulado pelas partes, não há nada a prover.", escreveu a magistrada na decisão.

Fora da lei: Números de motos sem placa nas ruas e infrações no trânsito crescem no Rio

Em outubro do ano passado, bebê foi encontrado morto com lesões principalmente na cabeça e na cervical produzidas por ação contundente. Ele teve traumatismo craniano e quando o SAMU chegou à casa em que o menino morava com a mãe, foi constatado o óbito.

Beatriz disse à polícia que teria saído para trabalhar e deixado o filho com o ex-namorado, Lucas, de 17h do dia 30 às 2h da madrugada do dia 31. Ela diz que quando chegou em casa não subiu até o quarto para ver o bebê, ficou conversando com Lucas no andar de baixo, porque ele estaria indo embora para Minas Gerais, às 6 horas da manhã. Depois disso, Beatriz dormiu sem checar como estava o bebê e só ao acordar, por volta de 14h foi ver a criança, que segundo ela estava roxa. Diante da situação, Beatriz teria ligado para o Samu solicitando socorro, mas quando a ambulância chegou o bebê já estava sem vida.

Caso Henry: em parecer, hospital reafirma que menino já chegou morto a unidade de saúde

As investigações indicaram que Lucas teria cometido o crime com a participação da mãe do menino, e depois disso, comprado uma passagem de ônibus para Minas Gerais. Beatriz não compareceu ao enterro do filho e mudou de endereço sem comunicar a ninguém sobre o seu destino. Os dois foram indiciados pelo crime de homicídio qualificado e na última quinta-feira, Lucas Ferreira Costa foi localizado pela Polícia Civil na cidade de Pedro Leopoldo, Minas Gerais.