Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    48.779,99
    -845,98 (-1,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Mãe é presa após ordenar sequestro da própria filha na França e fugir com criança para a Suíça

Extra, com agências internacionais
·1 minuto de leitura

Uma menina de oito anos que foi sequestrada na última terça-feira na região de Les Poulières, na França, foi resgatada no domingo na Suíça. A criança estava com a mãe, Lola Montemaggi, que não tinha a guarda da filha. Segundo a polícia francesa, Lola ordenou que três homens sequestrassem a criança, que vivia cm a avó. Elas foram encontradas em uma ocupação em uma antiga fábrica no vilarejo de Sainte-Croix.

A avó materna tinha a custódia desde janeiro, após a mãe afirmar durante audiência que queria "viver à margem da sociedade". Segundo promotores, ela já havia expressado anteriormente o desejo de vender tudo e viver em um trailer "fora do radar".

Conforme os investigadores, um dos criminosos que participou da ação esperou em um carro, enquanto outros dois abordaram a avó fingindo ser assistentes sociais. Mãe e a filha entraram na Suíça no dia do sequestro. Os três homens, Lola e a criança, cruzaram a fronteira franco-suíça a pé. Do outro lado, outro homem aguardava mãe e filha, e as levou de carro até um hotel na cidade de Estavayer-le-Lac. Em seguida, foram para a cidade vizinha de Neuchâtel, onde uma mulher os hospedou por mais uma noite. No dia seguinte, chegaram na fábrica.

De acordo com a agência de notícias AFP, a mãe não resistiu à prisão quando foi abordada por policiais suíços. Ela deve ser extraditada para a França em breve. Os outros cinco acusados de participar da ação também foram detidos. A menina está sendo atendida por uma psicóloga e uma assistente social antes de se reencontrar com a avó.