Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,40
    -1,01 (-1,13%)
     
  • OURO

    1.793,90
    -4,20 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    24.018,17
    -262,63 (-1,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,55
    -21,21 (-3,59%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.040,86
    -134,76 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    28.792,59
    -79,19 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    13.663,25
    -18,00 (-0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1785
    0,0000 (0,00%)
     

Lula quer discutir benesses da PEC Kamikaze em reforma tributária

*ARQUIVO* SÃO PAULO - SP- 12.05.2022 - Lula da palestra em ediçao do SindiMais, encontro anual que reune especialistas em relaçoes sindicais e trabalhistas para discutir o futuro do trabalho (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO - SP- 12.05.2022 - Lula da palestra em ediçao do SindiMais, encontro anual que reune especialistas em relaçoes sindicais e trabalhistas para discutir o futuro do trabalho (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um eventual governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pretende incluir na proposta de reforma tributária a discussão sobre o futuro das benesses eleitorais concedidas por Jair Bolsonaro (PL), como o aumento do Auxílio Brasil e a fixação de um teto do ICMS sobre combustíveis.

"Essa operação boca de urna de Bolsonaro, usando o chapéu alheio, tirando recurso da saúde, da educação, das universidades estaduais etc, vai exigir que o tema seja um dos primeiros no debate da reforma tributária", diz o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), um dos interlocutores da campanha junto a agentes econômicos.

Há uma avaliação entre petistas que a maioria terá de ser mantida mesmo após o prazo de término, em 31 de dezembro. Para isso, será necessário iniciar a articulação com o Congresso já num eventual período de transição.

Uma diretriz de Lula será não fazer movimentos bruscos. No caso do teto do imposto sobre gasolina e diesel, por exemplo, deverá haver uma transição na mudança de alíquotas.

Já com relação à substituição do teto de gastos por outro mecanismo fiscal, não há pressa. "É impossível detalhar qualquer regra fiscal antes de acabar o governo irresponsável de Bolsonaro. Correria o risco de cair em uma semana", afirma Padilha.

Ele lembra que o famoso "Uma Ponte Para o Futuro", divulgado pelo MDB em 2015, não mencionava explicitamente o teto de gastos, que depois virou marco do governo de Michel Temer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos