Mercado fechará em 4 h 56 min

Lula pediu Minha Casa, Minha Vida com varanda, diz ministro das Cidades ao tomar posse

***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF,  BRASIL,  29-12-2022, O indicado ao Ministério das Cidades Jader Filho. O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anuncia os últimos nomes de ministros que compõem o primeiro escalão do governo. No CCBB. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, BRASIL, 29-12-2022, O indicado ao Ministério das Cidades Jader Filho. O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anuncia os últimos nomes de ministros que compõem o primeiro escalão do governo. No CCBB. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O empresário Jader Filho (MDB-PA) disse nesta terça-feira (3), ao tomar posse no comando do Ministério das Cidades, que reconstruir o programa Minha Casa, Minha Vida é uma prioridade do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Ele afirmou que o presidente pediu que as moradias populares tenham varandas. "[Lula] Diz que o programa tem de levar dignidade, ajudar a diminuir as desigualdades do país", declarou Jader.

"Não é porque a pessoa precisa do apoio do governo que pode se receber uma obra qualquer, de baixa qualidade. Ao contrário, temos de ofertar o melhor possível ao povo brasileiro", disse ainda o novo ministro.

O governo Lula tem R$ 10 bilhões reservados para o programa habitacional no Orçamento de 2023.

No discurso de posse, Jader Filho disse que o governo Lula não vai limitar o investimento privado em saneamento. Afirmou que a gestão pública vai atuar em locais em que a iniciativa privada não tem interesse em investir, como nos pequenos municípios.

Mais tarde, em fala à imprensa, ele disse que o novo governo ainda vai avaliar se propõe mudanças ao marco do saneamento.

"O marco do saneamento precisa ser feito com diálogo. Essa questão se estabelece em parte pelo que a iniciativa privada vai fazer, como também o segmento público. Tem áreas que a iniciativa privada não tem interesse, lá é onde o setor público tem de estar", disse o ministro.

"Não tem de haver nem preconceito de uma parte nem de outra", declarou ainda.

Participaram da posse de Jader Filho a ministra do Planejamento, Simone Tebet (MDB), e lideranças da mesma legenda, como o ex-presidente José Sarney (MA), os senadores Renan Calheiros (AL) e Marcelo Castro (PI) e o ex-senador Romero Jucá (RR), um dos principais articuladores do impeachment de Dilma Rousseff (PT) em 2016.

O evento também reuniu militantes de movimentos sociais por moradia, que puxaram coros de apoio a Lula em mais de uma ocasião, como do MNLM (Movimento Nacional de Luta pela Moradia), do MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas) e do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto).

O novo ministro disse que está aberto ao diálogo com movimentos sociais. Jader Filho afirmou que a nova gestão vai listar as obras de habitação que estão paradas, e retomar a construção da faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida, destinada ao mais pobres.

A posse ainda marcou marcou a expansão do clã liderado pelo senador Jader Barbalho (MDB-PA), pai do ministro, que ainda tem outro filho, Helder Barbalho, como governador do Pará. A mãe do novo ministro, Elcione Barbalho (MDB-PA), é deputada federal.

Jader Filho disse que a sua gestão terá como marca "reconquistas na área social" e que será preciso "reconstruir" o Ministério das Cidades.

A pasta foi recriada com o desmembramento do Ministério do Desenvolvimento Regional. Outra parte da estrutura da pasta que havia no governo de Jair Bolsonaro (PL) se transformou no Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional.