Mercado fechará em 5 h 19 min
  • BOVESPA

    97.829,45
    -712,50 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.590,27
    +65,82 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,12
    +1,36 (+1,29%)
     
  • OURO

    1.801,70
    -5,60 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.309,38
    +281,21 (+1,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    414,62
    -5,52 (-1,31%)
     
  • S&P500

    3.756,49
    -28,89 (-0,76%)
     
  • DOW JONES

    30.528,17
    -247,26 (-0,80%)
     
  • FTSE

    7.146,05
    -23,23 (-0,32%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.428,75
    -100,75 (-0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5325
    +0,0269 (+0,49%)
     

Lula intensificará agenda de encontros com empresários e mercado

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Após apresentação das diretrizes de seu plano de governo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva planeja intensificar agenda de encontros com o empresariado.

Um desses jantares está pré-agendado para terça-feira (28).

Mantida em sigilo, a lista de convidados inclui, por exemplo, nomes do setor financeiro, de saúde, farmacêutica e transporte aéreo.

Dois dias antes, no domingo (26), Lula e o vice de sua chapa, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), participarão de jantar em um restaurante no Itaim Bibi, zona nobre de São Paulo.

Organizado pelo Grupo Prerrogativas, o evento contará com cerca de 130 comensais, entre eles empresários e advogados.

Como antecipou a coluna Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, os convites custaram de R$ 3.000 a 20 mil, destinados ao PT. O jantar, segundo organizadores, seria uma forma de agradecimento aos apoiadores do partido.

Assim como Jair Bolsonaro (PL) e o pedetista Ciro Gomes, Lula foi convidado para um encontro organizado pelo Grupo Esfera, que reuniria cerca de 50 empresários.

Lula e Ciro já manifestaram interesse em participar. Bolsonaro ainda não deu resposta.

Na segunda-feira (20), Lula se reuniu com empresários na casa do fundador do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa), o engenheiro e economista Cláudio Haddad.

À mesa, o presidente do conselho da administração do Itaú Unibanco, Pedro Moreira Salles, o presidente da Natura, Fábio Barbosa, e o presidente da rede Magazine Luiza, Frederico Trajano.

Antecipado pelo Globo, o rol de convidados foi confirmado pela reportagem. Além de Lula e Alckmin, o candidato do PT ao governo de São Paulo, Fernando Haddad, participou do evento.

No dia seguinte, no lançamento de plataforma virtual para debate de propostas para um plano de governo, Lula mencionou o jantar de véspera.

"E eu, com muita falta de humildade, eu dizia [no encontro]: quem nesse país tem mais autoridade de recuperar esse país do que o Alckmin e eu?", relatou.

Falando dele e de Alckmin, o petista acrescentou: "Ninguém nesse país tem os partidos e movimentos sociais apoiando nem a experiência gerencial que nós temos para cuidar da coisa pública. Nós não precisamos de tempo para aprender".

Para aliados do ex-presidente, a redação final das diretrizes programáticas para um eventual governo Lula deixa aberto canal de diálogo ao excluir propostas como a revogação da reforma trabalhista.

Outras discussões que provocaram ruídos e apareceram na versão preliminar apresentada pelo PT aos partidos aliados no dia 6 foram excluídas ou abrandadas. É o caso da defesa dos direitos sexuais e reprodutivos para mulheres. Lula foi alvo de críticas após dizer que o aborto deveria ser um "direito de todo mundo".

Na redação atual, são oferecidas "políticas de saúde integral", de forma a "fortalecer no SUS as condições para que todas as mulheres tenham acesso à prevenção de doenças e que sejam atendidas segundo as particularidades de cada fase de suas vidas".

Os profissionais de segurança pública, que compõem a base eleitoral de Bolsonaro e estiveram no centro de outra polêmica envolvendo o petista, também mereceram novo capítulo na redação final.

No dia 23 de maio, na primeiro reunião do conselho político da campanha, Lula disse que, depois de pronto, colocaria seu projeto debaixo do braço para apresentá-lo aos diversos setores da economia.

Na terça-feira, no lançamento das diretrizes, disse: "Em um programa de governo, a gente não pode ser irresponsável de propor coisa que a gente já sabe que não vai executar", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos