Lula enviará novo marco fiscal o mais rápido possível, mas não há data definida, diz Padilha

Ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse nesta quarta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a intenção de enviar o novo arcabouço fiscal ao Congresso Nacional o mais rápido possível, mas que ainda não há data definida.

Padilha afirmou, em entrevista coletiva na porta do Palácio da Alvorada, que Lula tem conversado diariamente com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e que os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal têm sinalizado que o arcabouço fiscal deve ser rapidamente aprovado.

Na véspera, Haddad afirmou que terá uma reunião "decisiva" nesta quarta-feira com o ministro da Casa Civil, Rui Costa, para debater o novo arcabouço fiscal.

O ministro pontuou que a lei que estabelece o novo arcabouço tem como prazo para encaminhamento ao Congresso o dia 15 de abril, já que ela tem que estar compatível com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), mas disse que isso não impede o governo de anunciar antes qual vai ser a regra do novo arcabouço fiscal que substituirá o teto de gastos.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)