Mercado abrirá em 1 h 24 min

Lula declara apoio a Boulos e convoca eleitores: 'Restabelecer a democracia no Brasil'

João de Mari
·2 minuto de leitura
El expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva concede una entrevista a The Associated Press vía teleconferencia desde donde está confinado por la pandemia, según muestra la imagen tomada de una computadora portátil, en Río de Janeiro, el miércoles 8 de abril de 2020. (AP Foto/Silvia Izquierdo)
Lula em entrevista por vídeo no dia 8 de abril de 2020 (Foto: AP Foto/Silvia Izquierdo)

O ex-presidente Lula (PT) declarou nesta terça-feira (17) apoio ao candidato à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), que disputará o segundo turno das eleições municipais com Bruno Covas (PSDB), no próximo dia 29. No Twitter, o ex-presidente ainda convocou os eleitores “de esquerda” e “progressistas” a votarem em Boulos para “restabelecer a democracia”.

“Todos os eleitores e eleitoras que votam no PT, todos os eleitores que são de esquerda, todos os eleitores progressistas, todos que querem restabelecer a democracia no Brasil, tem agora o compromisso histórico de votar no companheiro Guilherme Boulos para prefeito de São Paulo”, escreveu Lula.

No domingo (15), após votar em São Bernardo do Campo, Lula chegou a comentar a decisão de Jilmar Tatto (PT), candidato derrotado à Prefeitura de São Paulo, de não declarar apoio a Boulos. Segundo o ex-presidente, a decisão foi “única e exclusivamente” de Tatto.

A própria presidente do partido, Gleisi Hoffmann, afirmou que reuniu-se com Tatto para discutir o apoio do petista a Boulos, que não saiu do papel.

Leia também

“Ela fez o que deveria fazer como presidente do partido e, segundo as informações, disse para o candidato que dependia única e exclusivamente dele. Ninguém poderia dizer o que ele deveria fazer. O candidato disse: eu vou continuar. Acho que foi atitude dele soberana de dizer que não ia retirar a candidatura”, afirmou Lula.

A declaração teria provocado uma crise dentro da sigla no dia da eleição municipal. A fala foi criticada em grupos de Whatsapp de petistas e entendida por alguns como uma defesa do voto útil.

Dirigentes e parlamentares entendem que Lula tentou se dissociar do mau desempenho de Tatto e, ao mesmo tempo, fazer um gesto para Boulos, que teria validade mesmo se o candidato do PSOL não passar para o segundo turno.

A candidatura de Tatto na capital paulista não decolou, atingindo cerca de 8,55% das intenções de voto, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Boulos, por sua vez, teve 20,24% dos votos válidos e disputará o segundo turno com Bruno Covas (PSDB), que teve 32,85% dos votos, no próximo dia 29.