Mercado fechado

Luiza Trajano rebate título de mais rica do Brasil: 'são só papéis'

Lucas Carvalho
·2 minutos de leitura
Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

Selecionada pela revista Forbes como uma das dez pessoas mais ricas do Brasil e a mulher de maior fortuna do país, Luiza Trajano, dona do Magazine Luiza, disse em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na última segunda-feira (5), que não se sente à vontade fazendo parte do ranking. "São só papéis", disse a empresária.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

"Se você fizesse esse ranking dois anos atrás, quando nossa ação estava lá embaixo, eu não estava nem em 520º lugar", brincou Luiza. "Eu não gosto como base esse ranking. Acho que devia medir só o quanto de dinheiro que eu tenho no banco. Isso aí é papel, vai e volta."

Leia também

O ranking da Forbes leva em consideração o patrimônio dos principais empresários do Brasil e do mundo e inclui, principalmente, o dinheiro aplicado em ações de empresas de grande porte. Luiza Trajano é a principal acionista do Magazine Luiza, e viu sua participação valorizar-se juntamente com o aumento no preço das ações da empresa em 2020.

Ela é a oitava pessoa mais rica do país segundo este levantamento, com patrimônio estimado em R$ 24 bilhões. Luiza, porém, se diz favorável à taxação de grandes fortunas, desde que com uma condição: que haja transparência e objetividade no destino e aplicação desses impostos.

A empresária até sugere que os próprios bilionários administrem e decidam o destino de impostos cobrados sobre as próprias fortunas. "Se tem que ter distribuição de renda? Tem. Mas é preciso saber o jeito que foi feito, a gente tem que ter controle."

Luiza também negou interesse do Magalu em uma fusão com a gigante norte-americana Amazon, e não quis confirmar interesse em comprar os Correios, empresa estatal na fila do programa de privatizações do governo. A bilionária se diz a favor da desestatização de apenas uma parte da empresa, focada em logística, mantendo público o setor de correspondências.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube