Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.150,93
    +1.108,45 (+1,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.312,50
    +407,44 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    42,93
    +0,51 (+1,20%)
     
  • OURO

    1.835,70
    -36,70 (-1,96%)
     
  • BTC-USD

    18.297,76
    -156,99 (-0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    361,65
    +0,22 (+0,06%)
     
  • S&P500

    3.568,12
    +10,58 (+0,30%)
     
  • DOW JONES

    29.507,25
    +243,77 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.333,84
    -17,61 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.486,20
    +34,66 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.881,75
    -24,00 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4442
    +0,0643 (+1,01%)
     

Luiza Trajano reúne empresárias em movimento apartidário pró mulheres na política

BRUNA NARCIZO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 05-11-2020 - Empresaria Luiza Trajano. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* São Paulo, SP, BRASIL, 05-11-2020 - Empresaria Luiza Trajano. (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A empresária Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, lançou nesta terça-feira (10) uma carta compromisso para candidatas mulheres a favor de pautas escolhidas pelo Grupo Mulheres do Brasil, criado há sete anos pela empresária.

O objetivo da carta é dar visibilidade para as candidatas e aumentar a participação das mulheres na política.

Quem assinar a carta se compromete a apoiar os nove itens escolhidos pelo grupo como prioritários.

Entre eles está a defesa da liberdade de imprensa, luta contra qualquer tipo de discriminação, defesa dos direitos humanos, combate à violência contra a mulher, luta por educação e saúde pública de qualidade e sustentabilidade.

Até o momento, 555 mulheres já declararam o apoio à carta e vão receber visibilidade nas redes sociais do grupo nesta reta final das eleições. São 356 pedidos em processo de assinatura e 199 assinaturas concluídas.

As candidatas eleitas serão monitoradas durante o mandato para que cumpram a agenda do grupo.

"As premissas são obrigação. Se o partido de alguma delas votar contra alguma das premissas, a pessoa tem que votar a favor. A [deputada federal] Tábata Amaral ganhou pontos comigo quando não votou pelo partido", diz Luiza Helena, em referência à briga da deputada com o partido quando ela votou a favor da Reforma da Previdência, contrariando a indicação partidária.

Trajano afirma que o projeto é embrionário, mas que preferiu lançar agora para chegar mais maturado nas próximas eleições, para Câmara e Senado.

Segundo o Mulheres do Brasil, o objetivo é mudar o perfil do legislador. Atualmente, o Congresso é composto majoritariamente por homens brancos com mais de 60 anos.