Lucro das aéreas cai 92,8% no 4º tri de 2012, diz Iata

O lucro líquido das companhias aéreas caiu 92,8% no quarto trimestre de 2012, na comparação com igual período do ano anterior, para US$ 36 milhões, ante os US$ 503 milhões anotados um ano antes, de acordo com levantamento feito pela Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês), com base nos dados de 15 companhias aéreas.

O levantamento foi feito a partir dos resultados financeiros de nove companhias da América do Norte, quatro da Ásia-Pacífico e duas da Europa. A forte queda foi resultado do fraco desempenho das norte-americanas, que saíram de um lucro líquido de US$ 367 milhões para um prejuízo de US$ 181 milhões. Já as empresas asiáticas apresentaram um crescimento de 47,7% no lucro, para US$ 198 milhões, enquanto as empresas europeias passaram de um ganho de apenas US$ 2 milhões, no quarto trimestre de 2011, para lucro de US$ 19 milhões nos últimos três meses do ano passado.

Ainda de acordo com o levantamento da Iata, o lucro operacional das empresas avaliadas recuou 33,6% no quarto trimestre de 2012, ante igual período do ano anterior, para US$ 1,345 bilhão. "Apesar destes resultados, a maioria dos indicadores de rentabilidade estava se movendo em uma direção positiva no 4º trimestre", disse a Iata.

Conforme a entidade, o mercado de viagens aéreas começou a melhorar no final de 2012, com dezembro registrando expansão de 4,2% na demanda ante igual mês de 2011. Com isso, o tráfego aéreo encerrou o ano passado com uma expansão de 5,3%, ligeiramente abaixo da taxa de crescimento de 5,9% anotada em 2011.

Além disso, a oferta de assentos tem tido um crescimento abaixo da taxa de aumento da demanda, de 2,7% em dezembro. Com isso, a taxa de ocupação voltou a crescer no último mês de 2012, ante o mês anterior, para 77,9%. "Na verdade, ao longo de 2012, as taxas de ocupação foram mantidas perto dos níveis recordes", disse a Iata. Pelo número consolidado do ano, a taxa de ocupação foi de 79,1% em 2012. Ainda de acordo com a associação, os yields (indicador de tarifa) globais têm crescido acima dos níveis do ano anterior, em termos de moedas locais.

A entidade também destacou a melhora da avaliação das ações das companhias aéreas pelo mercado financeiro, em especial na Europa e América do Norte, onde os preços das ações subiram 10% em janeiro ante dezembro. "As medidas de melhora na eficiência e os esforços de reestruturação ajudaram as companhias aéreas a alcançar uma performance financeira melhor que a esperada na segunda metade de 2012", justificou a organização.

Carregando...