Mercado abrirá em 6 h 17 min

Lucro da Alpargatas cai 45,2% no terceiro trimestre

Cibelle Bouças

A dona de marcas como Havaianas, Osklen e Mizuno registrou um lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 66,3 milhões, no período A Alpargatas, dona de marcas como Havaianas, Osklen e Mizuno, registrou no terceiro trimestre um lucro líquido atribuído aos controladores de R$ 66,3 milhões, o que representa uma queda de 45,2% em comparação com o mesmo período de 2018. Já o lucro líquido consolidado da companhia atingiu R$ 58,5 milhões, com queda de 51,2% na mesma base de comparação.

A receita líquida da Alpargatas cresceu 11,4% de julho a setembro, para R$ 1,04 bilhão.

As vendas no Brasil cresceram 10,9%, para R$ 741,6 milhões. De acordo com a companhia, todos os negócios cresceram dois dígitos no período. No Brasil, as vendas de Havaianas diretamente ao consumidor cresceram 10% e as vendas da Osklen diretas ao consumidor aumentaram 13%.

As vendas de sandálias no mercado internacional avançaram 10,4%, para R$ 162,1 milhões. As vendas na Argentina, por sua vez, cresceram 15,5%, para R$ 133,2 milhões.

As despesas com vendas cresceram 1,7%, para R$ 288,7 milhões. As despesas gerais e administrativas somaram R$ 54,3 milhões, com aumento de 2,2%. Os gastos com honorários dos administradores aumentaram 174,1% para R$ 5,5 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) atingiu R$ 150,3 milhões, queda de 34,6%.

A Alpargatas registrou, no terceiro trimestre deste ano, uma perda de R$ 5,2 milhões, relacionada a despesas com mudança de sede, consultorias e fechamento de lojas Meggashop (outlet da Alpargatas) e do centro de distribuição de Mogi Mirim, vendas de ativos e ajustes de hiperinflação na Argentina e mudanças relacionadas à adoção da norma contábil IFRS 16. No mesmo intervalo do ano passado, a Alpargatas registrou um ganho não recorrente de R$ 115,7 milhões.

Excluindo esses efeitos, o Ebitda da companhia no terceiro trimestre de 2019 atingiu R$ 155,5 milhões, com aumento de 36,3% em relação ao mesmo intervalo de 2018. O lucro líquido recorrente, excluindo esses efeitos, atingiu R$ 59,7 milhões, ante um prejuízo de R$ 5,8 milhões no mesmo período de 2018.

No terceiro trimestre, a companhia abriu um novo centro de distribuição dedicado à venda multicanal, em Extrema (MG). A unidade faz parte do plano de integrar as lojas físicas da Havaianas — seu maior negócio — com o comércio eletrônico.