Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,59 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,08 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,52
    -0,63 (-0,87%)
     
  • OURO

    1.815,10
    -46,30 (-2,49%)
     
  • BTC-USD

    38.652,77
    -1.457,81 (-3,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,10
    -31,37 (-3,16%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,66 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.934,50
    -46,75 (-0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0731
    -0,0448 (-0,73%)
     

Longas jornadas de trabalho matam milhares por ano; tendência é piorar

·1 minuto de leitura

Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) ressaltou as consequências de longas jornadas de trabalho, apontando que, em 2016, 745 mil pessoas morreram de doenças decorrentes justamente desses longos períodos de trabalho. E uma projeção da OMS é que essa tendência pode piorar devido à pandemia.

O relatório descobriu, inclusive que as pessoas que vivem no Sudeste Asiático e na região do Pacífico Ocidental foram as mais afetadas. Segundo a pesquisa, trabalhar 55 horas ou mais por semana apresentou uma relação com um risco 35% maior de acidente vascular cerebral e 17% maior de morrer de doença cardíaca, em comparação com uma semana de trabalho de 35 a 40 horas, por exemplo. O estudo também mostrou que quase 75% dos que morreram em consequência de longas horas de trabalho eram homens de meia-idade ou mais velhos.

A análise não cobriu o período da pandemia, mas a OMS aponta que a ascensão do trabalho remoto e a desaceleração econômica podem ter aumentado os riscos associados às longas jornadas de trabalho. De acordo com o relatório, trabalhar longas horas foi estimado como responsável por cerca de um terço de todas as doenças relacionadas ao trabalho.

(Imagem: August de Richelieu/Pexels)
(Imagem: August de Richelieu/Pexels)

Os pesquisadores mencionam duas maneiras de as horas de trabalho mais longas prejudicarem a saúde: por meio de respostas fisiológicas diretas ao estresse ou porque mais horas significam mais probabilidade de adotar comportamentos prejudiciais à saúde, como uso de tabaco e álcool, menos sono e exercícios físicos, e uma dieta pouco saudável. Cabe dizer que o número de pessoas trabalhando longas horas estava aumentando antes da pandemia, de acordo com a OMS.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: