Mercado fechará em 5 h 14 min
  • BOVESPA

    113.747,02
    +39,27 (+0,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.410,52
    -323,52 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,21
    +2,10 (+2,38%)
     
  • OURO

    1.777,10
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    23.455,65
    +57,39 (+0,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    559,04
    +1,31 (+0,24%)
     
  • S&P500

    4.275,17
    +1,13 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    33.917,01
    -63,31 (-0,19%)
     
  • FTSE

    7.528,65
    +12,90 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    19.763,91
    -158,54 (-0,80%)
     
  • NIKKEI

    28.942,14
    -280,63 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.481,50
    -11,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2489
    -0,0103 (-0,20%)
     

Londrinos ainda deixam cidade em massa como no meio da pandemia

(Bloomberg) -- O impulso de deixar Londres provocado pela pandemia de coronavírus não mostra sinais se reverter, mesmo depois que milhões de trabalhadores retornaram aos escritórios no centro da capital britânica.

Quase 8% das casas britânicas compradas fora da cidade foram adquiridas por londrinos no primeiro semestre do ano, a mesma proporção de um ano antes, quando a corrida pós-Covid começou. A proporção foi de 6,9% no primeiro semestre de 2019, antes da pandemia, segundo dados compilados pela corretora Hamptons.

Os compradores migram para o interior em busca de mais espaços verdes depois de ficarem confinados em suas casas durante uma série de lockdowns em 2020, aproveitando padrões de trabalho mais flexíveis e acumulo de poupança. Eles também se dirigem para cidades mais baratas longe da capital depois que a pandemia causou um aumento nos preços das casas que tornou Londres ainda menos acessível.

“Está se tornando cada vez mais evidente que uma das maiores tendências do mercado imobiliário relacionado à covid – sair de Londres para o interior – pode estar aqui para ficar”, disse Aneisha Beveridge, chefe de pesquisa da Hamptons. “Apesar de mais pessoas terem retornado aos escritórios de Londres este ano, o ritmo em que as famílias levantaram acampamento e saíram da cidade continuou acelerado.”

A corrida para fora de Londres acelerou a alta de preços das casas nas regiões do Reino Unido, diminuindo a diferença persistente de preços com a capital. Com os valores mais altos, as pessoas que trocaram suas casas em Londres para comprar fora da capital agora compram imóveis a 26,4 milhas de onde moravam, 0,6 milha a mais do que no ano passado.

As mudanças de famílias representaram 50% dos negócios, enquanto os compradores de primeira viagem representaram 28%. O restante foi comprado por investidores e por quem adquiriu uma segunda casa. Os destinos mais populares para mudanças residenciais incluíram Epping Forest, Slough e Epsom & Ewell.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos