Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.344,51
    -97,41 (-0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Lojistas projetam vendas fracas no 1º semestre

**Arquivo**SÃO PAULO, SP, 21/12/2022 - Movimento do comércio no Shopping Center Norte. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
**Arquivo**SÃO PAULO, SP, 21/12/2022 - Movimento do comércio no Shopping Center Norte. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - As vendas dos shoppings ficaram em torno de R$ 180 bilhões em 2022, conforme os dados da Alshop (associação de lojas). O resultado, porém, ainda não alcança o patamar de 2019, quando os números ultrapassaram R$ 192 bilhões.

Para 2023, a Alshop projeta um primeiro semestre complicado. A esperança é que a segunda metade do ano ajude os lojistas a superarem o nível de vendas pré-pandemia.

"O primeiro semestre costuma ser mais fraco, mas pela situação econômica que estamos vivendo e os atos que aconteceram em Brasília, com toda a insegurança gerada em torno disso, acreditamos que será mais difícil. O segundo semestre deve ser melhor", afirmou Luis Augusto Ildefonso, diretor institucional da Alshop.

Em dezembro, o movimento das vendas nos shoppings ficou abaixo do esperado pelo setor, segundo Ildefonso, que atribui o desempenho fraco a inflação, desemprego e endividamento.