Mercado fechará em 6 h 59 min

Lojistas pagam cerca de 30% a mais no material escolar; entenda

·2 min de leitura
Aumento no preço de matérias-primas e valor do dólar afetam o valor da lista de material escolar deste ano. (Getty Imagens)
Aumento no preço de matérias-primas e valor do dólar afetam o valor da lista de material escolar deste ano. (Getty Imagens)
  • Levantamento da ABFIAE aponta aumento de 15% a 30% no valor do material escolar;

  • Reutilizar itens de anos anteriores e outras dicas podem aliviar a ida às papelarias;

  • Em pesquisa realizada pelo Procon-SP, valor de um mesmo item pode varias 381% dependendo da loja.

Para os pais, a compra de material escolar é uma compra importante no começo do ano. No último dia 7 de janeiro o Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo) divulgou o levantamento de itens escolares a venda. A variação chegou a 381% em um mesmo produto.

Já para os lojistas o começo do ano é a oportunidade de limpar os estoques das festas natalinas e abrir espaço para o material escolar. E em 2022 os produtos escolares subiram, em média, entre 15% e 30 %, de acordo com a ABFIAE (Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares).

Leia Também:

Segundo o presidente da associação, e da empresa de material escolar Tilibra, Sidnei Bergamaschi, dois fatores justificam o aumento de preço para o setor de varejo: a preço das matérias-primas e a alta do dólar ao longo dos últimos dois anos.

O custo do papel, papelão, plásticos, metais, cola, entre outros aumentou por conta de fábricas e distribuidoras fechadas, ou com produção reduzida, por conta da pandemia do novo coronavírus. Entra no custo da produção o aumento na energia elétrica, causada pela escassez de chuvas nos reservatórios das hidrelétricas.

E o dólar é o fiel mais pesado na balança no caso dos itens importados. Com a moeda americana na casa dos R$ 5,65 está mais caro trazer produtos da China e dos Estados Unidos. O preço da moeda estrangeira acaba embutido no valor final ao consumidor.

Já que os preços não cedem a saída é adotar estratégias para economizar nas compras do material escolar. Reaproveite itens de anos anteriores, pesquisar preços, pedir desconto em pagamentos à vista e realizar pedidos em grande quantidade com outros país são algumas dicas para gastar um pouco neste começo de ano.

Com informações do jornal Folha de São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos