Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.690,17
    +1.506,22 (+1,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.004,19
    -373,28 (-0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,90
    +0,07 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.690,00
    -10,70 (-0,63%)
     
  • BTC-USD

    46.645,14
    -4.185,46 (-8,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    930,98
    -56,22 (-5,70%)
     
  • S&P500

    3.768,47
    -51,25 (-1,34%)
     
  • DOW JONES

    30.924,14
    -345,95 (-1,11%)
     
  • FTSE

    6.650,88
    -24,59 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    28.711,92
    -524,87 (-1,80%)
     
  • NIKKEI

    28.476,23
    -453,88 (-1,57%)
     
  • NASDAQ

    12.350,25
    -104,75 (-0,84%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7821
    -0,0038 (-0,06%)
     

Lojas Americanas amplia base de autogeração com usinas solares até junho

·1 minuto de leitura
Unidade da Lojas Americanas no Rio de Janeiro (RJ)

SÃO PAULO (Reuters) - A Lojas Americanas anunciou nesta sexta-feira que vai inaugurar duas usinas de geração solar até junho, ampliando a parcela da energia consumida pelo grupo oriunda de fontes renováveis, hoje já em 30%.

A energia produzida nas novas usinas fotovoltaicas será distribuída para cerca de 70 lojas físicas da rede em Pernambuco e Distrito Federal, afirmou a varejista.

A companhia já tem quatro usinas próprias, sendo três hidrelétricas e uma de biogás, estrutura com a qual abastece integralmente da energia para cerca de 150 unidades. A produção ocorre em quatro usinas de Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Além disso, desde 2016 a companhia opera no mercado livre de energia como cliente especial, comprando também eletricidade de fontes renováveis para atender cerca de 130 lojas de grande porte, centros de distribuição e escritórios.

"A economia expressiva na despesa, aliada à eficiência energética reforça a ideia de que essa conexão é possível e rentável”, afirmou o diretor de relações com investidores e sustentabilidade da Americanas, Carlos Padilha.

No mês passado, o Mercado Livre anunciou que começará a oferecer aos seus entregadores no Brasil crédito para comprar veículos elétricos.

E a Ambev fechou acordo com a startup FNM e com a montadora nacional Agrale para aquisição de mil veículos elétricos incluindo caminhões e vans, como parte dos planos da fabricante de bebidas de ter metade da frota rodando com energia limpa até 2023.

(Por Aluísio Alves)