Mercado abrirá em 5 h 9 min

Loja da Nintendo em Tóquio é pequena para legião de fãs

Vlad Savov

(Bloomberg) -- Pouco antes do Natal, o tempo de espera apenas para entrar na principal loja da Nintendo em Tóquio para comprar um bicho de pelúcia Mario ou um conjunto de hashis com o rosto do Luigi era de uma hora.

Inaugurada em novembro no sexto andar do renovado shopping Shibuya Parco, a vitrine de 300 metros quadrados, constantemente lotada, exibe o apelo da propriedade intelectual da Nintendo, contrastando com o conservadorismo que leva a empresa a normalmente subestimar a popularidade de seus produtos.

As longas filas de consumidores são um sinal da fidelidade dos clientes com a qual a Nintendo conta em 2020 diante para suas iniciativas no segmento móvel e planos para substituir o Switch.

Uma legião de fãs - estrangeiros e japoneses - invadiu a loja da Nintendo desde o momento em que foi aberta. A equipe do local disse que ainda não houve um dia sem uma longa fila de pessoas esperando para entrar, apesar de a empresa distribuir entradas numeradas antes de abrir as portas às 10h todos os dias. Em 9 de dezembro, a Nintendo tuitou pedindo aos fãs que “se agasalhassem” porque previa que teriam que esperar do lado de fora. Tudo isso apesar de o local ser fora de mão.

“A loja é um novo tipo de propaganda. A publicidade tem representado um custo, mas a Nintendo está transformando isso em lucro, assim como nos jogos para smartphones”, disse Hideki Yasuda, analista do Ace Research Institute. “Se as pessoas postarem nas redes sociais dizendo que levaram horas para entrar na loja, isso terá um efeito publicitário que não pode ser medido em dinheiro.”

A fila para entrar na loja da Nintendo normalmente se estende para uma escada próxima abaixo. Uma vez lá dentro, os consumidores não têm muito espaço - é um local compacto para uma das maiores e mais renomadas marcas do Japão. A fila até os caixas dava a volta dentro da loja e um turista com um boné do time de futebol americano Los Angeles Chargers disse que esperou mais de 30 minutos apenas para pagar as compras.

Em e-mail, o porta-voz da Nintendo, Tomokazu Nakaura, disse que a empresa é “grata às muitas pessoas que visitam todos os dias” a loja desde a abertura e pediu “desculpas por deixar os clientes esperando”.

--Com a colaboração de Takashi Amano.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórter da matéria original: Vlad Savov Tokyo, vsavov5@bloomberg.net

Para entrar em contato com os editores responsáveis: Edwin Chan, echan273@bloomberg.net, Vlad Savov

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

©2019 Bloomberg L.P.