Mercado fechará em 23 mins
  • BOVESPA

    107.622,29
    +64,62 (+0,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.858,09
    -60,19 (-0,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,44
    +0,39 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.785,20
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    50.437,61
    -596,45 (-1,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.316,45
    +11,33 (+0,87%)
     
  • S&P500

    4.691,14
    +4,39 (+0,09%)
     
  • DOW JONES

    35.663,40
    -56,03 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.339,75
    +21,75 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2929
    -0,0468 (-0,74%)
     

Loft compra startup no México e inicia expansão internacional

·3 min de leitura

(Bloomberg) -- A Loft, plataforma imobiliária digital avaliada em US$ 2,9 bilhões no começo do ano, comprou uma startup mexicana, dando início à sua expansão na América Latina.

Most Read from Bloomberg

A Loft adquiriu a TrueHome do México em uma transação em dinheiro e ações, disse o CEO da Loft, Mate Pencz, em entrevista. Semelhante à Loft, a TrueHome é uma corretora de imóveis digital, que compra e vende casas usando ferramentas de comércio eletrônico. Mas enquanto a Loft cresceu focando nas principais cidades do Brasil, TrueHome teve como alvo o México.

“Estávamos planejando expandir para o México quase desde o início da Loft e temos uma ambição global para a empresa”, disse Pencz. “O México tem pontos de dor muito semelhantes aos do Brasil: a falta de transparência, a falta de dados, a falta de confiança.”

As startups latino-americanas atraíram neste ano somas recordes de dinheiro, que ajudaram a transformá-las em gigantes multinacionais na região. O principal rival da Loft no Brasil, o QuintoAndar, empresa avaliada em US$ 5,1 bilhões, também está investindo no México, competindo com a startup La Haus, com sede na Colômbia, que já opera no país. Outras empresas, como o banco digital Nubank e a empresa de pagamento Ebanx, também vêm se expandindo na região.

A Loft já havia se tornado um investidor minoritário da TrueHome quando a empresa mexicana fez sua última rodada de captação no início de 2020, disse Pencz. A TrueHome lista cerca de 10.000 propriedades ativas em cinco cidades mexicanas em sua plataforma, tornando-a uma das maiores corretoras do México, de acordo com Pencz.

Os fundadores da TrueHome, Raul Villarreal e Alvaro Cepeda, permanecerão no comando do negócio e os acionistas da TrueHome se tornarão investidores da Loft. Eventualmente, a startup mexicana assumirá a marca Loft. Pencz não comenta o valor total da transação.

A enxurrada de capital de risco na região tem fomentado aquisições. Depois de levantar US$ 525 milhões no início de 2021, a Loft fez quatro compras, incluindo TrueHome, disse Pencz. Ela comprou uma corretora tradicional no Brasil e também uma firma que ajuda na venda de crédito imobiliário, a CrediHome. Adquiriu ainda a CredPago, que trata de garantias para contratos de locação. Essa transação tornou o Banco BTG Pactual um dos acionistas da Loft e avaliou a CredPago em R$ 3 bilhões.

“Ainda podemos fazer algumas aquisições de forma oportunista, mas agora o foco é fazer crescer organicamente os novos pilares que adicionamos ao nosso negócio”, disse Pencz.

As transações imobiliárias residenciais no Brasil e no México têm diversos problemas em comum, sendo realizadas por meio de pequenas corretoras físicas, com burocracia abundante e sem um banco de dados de preços centralizado. A Loft estima que mais de 600.000 transações de imóveis residenciais usados são realizadas no México todos os anos, enquanto o Brasil tem cerca do dobro disso. Ambos são “grandes mercados, mas muito concentrados nas grandes cidades”, disse Pencz.

Pencz e Florian Hagenbuch criaram a Loft em 2018 e a startup levantou desde então US$ 950 milhões por meio de capital de risco e fundos imobiliários, com acionistas como Andreessen Horowitz, D1 Capital Partners e Advent International. Com algumas das maiores startups brasileiras se preparando para abrir capital nos EUA, Pencz disse que não há planos específicos para a Loft ainda, mas que a empresa “está pensando nisso”.

“Algumas das aquisições já aconteceram com uma avaliação superior a de US$ 2,9 bilhões, refletindo o crescimento do nosso negócio”, disse ele.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos