Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    32.923,40
    +1.129,07 (+3,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

Lobo frustrado: só 12% das notas de R$ 200 prometidas para 2020 foram produzidas

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Nota de R$ 200. (Foto: Getty Images)
Nota de R$ 200. (Foto: Getty Images)

O Banco Central brasileiro produziu apenas 53,3 milhões de unidades de cédulas de R$ 200 até o final do ano passado, equivalente a cerca de R$ 10,7 bilhões. O montante representa apenas cerca de 12% do total prometido, de 450 milhões de notas, ou cerca de R$ 90 bilhões em papel.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

As informações são de reportagem do portal UOL. Ao site, o BC não explicou por qual motivo a produção ficou abaixo do planejado inicialmente, mas disse que o cronograma segue “dentro do planejado”.

Ainda não foi definida a quantidade de cédulas que serão produzidas em 2021.

Leia também:

A nota de R$ 200 foi anunciada pelo BC no final de julho do ano passado, e gerou muita polêmica. Seu lançamento, segundo a instituição, seria uma maneira de economizar com a impressão de notas, em um cenário em que a circulação de dinheiro vivo aumentou por conta da crise do novo coronavírus.

A mesma estratégia já havia sido adotada anteriormente, com a nota de R$ 20 e de R$ 2.

Logo após o lançamento da nova cédula, no entanto, o ministro da economia, Paulo Guedes, anunciou que ela deveria ter “vida curta”. Segundo o ministro, a inovação de tecnologias digitais de transferência devem colocar essas notas mais altas em desuso. A lógica é simples: com a possibilidade de fazer transferências de valor mais alto por ferramentas como o Pix, as pessoas tendem a abandonar as cédulas de papel.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube