Mercado abrirá em 6 h 45 min
  • BOVESPA

    113.031,98
    +267,72 (+0,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.638,36
    -215,01 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,59
    -0,82 (-0,92%)
     
  • OURO

    1.796,00
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    23.965,40
    -683,54 (-2,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    567,77
    -22,99 (-3,89%)
     
  • S&P500

    4.297,14
    +16,99 (+0,40%)
     
  • DOW JONES

    33.912,44
    +151,39 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.509,15
    +8,26 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    19.937,78
    -103,08 (-0,51%)
     
  • NIKKEI

    28.870,71
    -1,07 (-0,00%)
     
  • NASDAQ

    13.664,50
    -16,75 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1797
    +0,0012 (+0,02%)
     

Livro sobre CEOs e série dos Lakers estão no happy hour de Marcelo França

Natural do Rio de Janeiro, Marcelo França, CEO da Celcoin, vive em São Paulo com a família, onde fundou a fintech de infraestrutura financeira e bancária que hoje atende mais de 200 clientes, entre bancos digitais, fintechs e outras instituições financeiras. No tempo livre, França gosta de praticar esportes e de consumir conteúdo sobre o assunto. “Futebol, tênis, basquete, xadrez… Esporte é um vício”, afirma o executivo que recomenda a série “Lakers: Hora de Vencer”, da HBO Max.

Esporte é um vício, diz CEO de fintech brasileira. Foto: Getty Images.
Esporte é um vício, diz CEO de fintech brasileira. Foto: Getty Images.

Já a recomendação de leitura é um livro que descreve a história do conhecido investidor Warren Buffett e de mais sete CEOs que, segundo França, “estão fora do radar, mas geraram valor durante muito tempo”: “The Outsiders: Eight Unconventional CEOs and Their Radically Rational Blueprint for Success”, de Jr. Thorndike, William N.

Com uma bagagem de mais de 15 anos no mercado financeiro e formação acadêmica que une finanças à tecnologia, França fundou a Celcoin em 2016, quando tudo ainda era mato no mundo das fintechs. De lá pra cá, a prateleira da empresa, que tinha como único produto uma conta digital pré-paga, ganhou uma diversidade de soluções não apenas para atender clientes finais (que hoje somam mais de 9 milhões mensalmente), mas para servir o mercado com tecnologia financeira e bancária: a infraestrutura inclui APIs (interfaces de programação de aplicação) para habilitar transações de PIX, saques, transferências, débito automático, pagamento de contas, tributos, recargas de celular e gift cards.

“Com o tempo, nós percebemos uma demanda muito grande de fintechs, bancos digitais, bancos médios e empresas não financeiras querendo se conectar aos serviços que tínhamos construído. Então nós fizemos uma pivotagem e nos tornamos um provedor de infraestrutura para esses players”, revela França, que atualmente atende mais de 200 clientes com esse perfil.

Carreira no mercado financeiro

Marcelo França é formado em Tecnologia pela PUC-RJ, possui MBA em Finanças pela IBMEC-RJ e Doutorado em Inteligência Artificial pela PUC-RJ. O agora CEO e fundador da Celcoin teve passagens pelo Banco Bozano Simonsen, participou do lançamento da corretora Investshop.com, e atuou como CTO do Lemon Bank, primeiro banco brasileiro focado em correspondentes bancários, vendido para o Banco do Brasil em 2011.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos