Mercado fechará em 6 h 37 min
  • BOVESPA

    123.399,38
    -177,18 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.633,91
    +764,43 (+1,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,01
    -1,55 (-2,20%)
     
  • OURO

    1.833,80
    +19,70 (+1,09%)
     
  • BTC-USD

    38.842,86
    +430,16 (+1,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    950,57
    +7,13 (+0,76%)
     
  • S&P500

    4.423,15
    +35,99 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.116,40
    +278,24 (+0,80%)
     
  • FTSE

    7.113,82
    +8,10 (+0,11%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.021,50
    -24,75 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1767
    +0,0112 (+0,18%)
     

LiveWire One: moto elétrica da Harley-Davidson chega mais barata, mas ainda é uma Harley?

·2 minuto de leitura
LiveWire One: moto elétrica da Harley-Davidson chega mais barata, mas ainda é uma Harley?
LiveWire One: moto elétrica da Harley-Davidson chega mais barata, mas ainda é uma Harley?

A segunda chance da Harley-Davidson de tentar dominar o setor de motos elétricas finalmente chegou. A clássica marca lançou a LiveWire One no fim desta quinta-feira (8). O veículo chega com um preço mais acessível, porém divide opiniões entre os fãs e a imprensa, que apontam se ainda é possível chamar a versão atualizada de seu EV (electric vehicle) de “Harley”.

Isso por conta de dois fatores: o primeiro foi a decisão da Harley-Davidson de desmembrar a divisão de motocicletas elétricas em uma submarca, também chamada de LiveWire. A ideia era, de acordo com o CEO Jochen Zeitz, fazer com que de pouco a pouco os clientes fiéis da fabricante, que ainda preferem motos à combustão, “se acostumassem com a ideia” de forma mais prática, visto que quem estaria montando os elétricos seria uma empresa ligada à Harley, mas não ela própria.

O segundo ponto é o design mais moderno do veículos. Entusiastas mais conservadores em relação à eletrificação apontaram nas redes sociais que a moto “é bonita, mas não é uma Harley”, ou que o modelo elétrico “fugia do tradicional e desvalorizava o legado Harley-Davidson”.

LiveWire One é a segunda chance da Harley-Davidson de dominar o setor de motos elétricas. Imagem: LiveWire/Divulgação
LiveWire One é a segunda chance da Harley-Davidson de dominar o setor de motos elétricas. Imagem: LiveWire/Divulgação

De qualquer forma, a LiveWire One se parece muito com a “antiga” LiveWire, primeiro EV lançado pela Harley, só que tem nova pintura e logotipo. E mais: a moto elétrica oferece cerca de 240 quilômetros de alcance e pode ser carregada rapidamente de 0 a 100% em 60 minutos, o que a torna muito fácil de usar no dia a dia.

Além da reformulação da marca, renomeação e mudanças singelas no design, não houveram grandes novidades a seres destacadas em relação ao modelo, o que não é necessariamente uma coisa ruim ou surpreendente. Afinal, o CEO da Harley já afirmou em entrevista que o plano inicial é “estabelecer a marca no mercado” – logo, a LiveWire One tem como objetivo ser uma “porta de entrada” para novos veículos.

Leia mais:

O que parece ter mudado, de fato, é o preço. A motocicleta lançada antes pela Harley-Davidson custava quase US$ 30 mil (R$ 157 mil), mas a LiveWire One tem o preço oficial de US$ 21.999 (R$ 115 mil). Isso coloca o veículo como uma alternativa mais em conta e atraente na categoria de “motos elétricas premium“.

A estreia física da LiveWire One ocorrerá no dia 18 de julho, no International Motorcycle Show que, em 2021, será realizado norte da Califórnia. A moto elétrica será lançada de forma global a partir de 2022.

Fontes: CNET e The Verge

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos