Mercado fechado

Listagem da Getnet pode acontecer no 3º trimestre, diz Santander

ISABELA BOLZANI
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A listagem da Getnet pode acontecer até o terceiro trimestre deste ano, afirmou o presidente do Santander, Sérgio Rial, nesta quarta-feira (3). A expectativa é que o pedido para a cisão da companhia de maquininhas seja enviado ao Banco Central ainda em abril. Em comunicado enviado aos acionistas nesta terça (2), o banco informou que concluiu os estudos para segregar as participações acionárias das duas companhias -o que faz com que os acionistas do Santander se tornem acionistas diretos da Getnet. O estudo havia começado em novembro de 2020. "A diretoria executiva do Santander Brasil submeterá ao conselho de administração suas conclusões, assim como sua recomendação positiva", disse o banco em nota. Com a aprovação do conselho fiscal, haverá a convocação da assembleia geral extraordinária de acionistas para decidir sobre a cisão de maneira definitiva. "Esperamos, até o final do primeiro trimestre, ter a conclusão efetiva do processo interno de governança. Tendo feito isso até 31 de março, começa o processo de pedido ao Banco Central para aprovação dessa cisão", afirmou Rial. Segundo ele, a expectativa é que a decisão do Banco Central seja anunciada em dois ou três meses. "Não é impossível pensar na listagem da Getnet no terceiro trimestre deste ano", disse. Apesar da perspectiva sobre a listagem da companhia de maquininhas até setembro, Rial explica que o processo não se tratará de um IPO (oferta pública inicial de ações). "Vamos listar a Getnet por transparência e porque chegou à maturidade. Mas não é um IPO porque o controlador e os acionistas minoritários não estão vendendo a sua participação na companhia", afirmou Rial. Em relatório de resultados divulgados nesta quarta-feira (3), o Santander apontou que a Getnet chegou ao final de 2020 com 15% de participação no mercado total e 25% de participação no ecommerce. A companhia também registrou faturamento de R$ 93,3 bilhões entre crédito e débito no quarto trimestre de 2020, avanço de 52,7% em comparação a igual período de 2019. A empresa totalizou 892 milhões de transações no período -alta de 22,2% na mesma comparação.