Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.952,10
    -720,42 (-1,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Lista dos EUA com 2 mi de suspeitos de terrorismo ficou exposta durante semanas

·2 minuto de leitura

Uma lista secreta contendo 2 milhões de nomes de supostos terroristas vigiados pelos Estados Unidos ficou disponível publicamente na internet durante duas semanas sem nenhuma proteção que impedisse seu acesso. A descoberta foi realizada pelo especialista em segurança Volodymyr “Bob” Diachenko, que percebeu que o documento poderia ser acessado por qualquer pessoa entre os dias 19 de julho de 9 de agosto.

O documento, que mostra alvos de interesse para os Estados Unidos, pode ter sido elaborado pelo Terrorist Screening Center (TSC), um centro formado por várias agências do país gerenciado pelo FBI. Embora o Departamento de Segurança Nacional tenha confirmado o incidente a Diachenko após um aviso dado pelo pesquisador, até o momento não há detalhes sobre o que gerou a situação.

Em seu LinkedIn, Diachenko afirmou que teve acesso à lista de vigilância após ela ter sido indexada pelos sistemas de busca Censys e Zoomey. “O servidor exposto foi retirado do ar três semanas depois, no dia 9 de agosto de 2021. Não está claro por que eles demoraram tanto, e eu não sei com certeza se alguma entidade não autorizada teve acesso a ele”, explicou.

Lista pode expor pessoas inocentes

O pesquisador afirma que não sabe a quantidade de dados da TSC que foram expostos, mas a grande quantidade de nomes o faz acreditar que o documento pode se tratar da lista completa de vigiados pelo governo. Entre as informações que podiam ser acessadas estava nome completo, a identidade da pessoa no sistema da TSC, cidadania, gênero, data de nascimento, número do passaporte (e país de emissão) e se a pessoa tinha um indicador que a proibia de embarcar em voos para os Estados Unidos.

Imagem: Divulgação/Pete Linforth/Pixabay
Imagem: Divulgação/Pete Linforth/Pixabay

Apesar de os dados se referirem a informações do governo norte-americano, Diachenko aponta que o endereço de IP que os hospedava estava localizado em Bahrein, país do Oriente Médio. A lista elaborada pelos EUA traz somente nomes suspeitos de terrorismo, mas que não necessariamente foram acusados de nenhum crime, e que podem muito bem ser inocentes.

“Nas mãos erradas, essa lista poderia ser usada para oprimir, assediar ou perseguir pessoas e suas famílias. Ela poderia causar um número vasto de problemas pessoais e profissionais para pessoas inocentes cujo nome foi incluído na lista”, alerta o pesquisador. Ele também alerta que, entre os nomes vazados, podem estar identidades de informantes que colaboraram com o país norte-americano no passado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos