Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.530,25
    +2.154,50 (+4,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Lira turca ronda estabilidade após liquidação volátil da semana

·1 min de leitura
Notas de lira da Turquia

ISTAMBUL (Reuters) - A lira da Turquia rondava a estabilidade nesta quinta-feira, após registrar queda histórica para mínimas recordes mais cedo nesta semana, já que o presidente do país, Tayyip Erdogan, defendeu cortes de juros recentes apesar de críticas generalizadas à direção da política monetária.

A lira era negociada a 12,09 por dólar, depois de ter chegado a se recuperar até 2%, a 11,85 por dólar, no início do pregão. A divisa turca atingiu seu nível mais fraco de todos os tempos, de 13,45 por dólar, na terça-feira.

Antes de mostrar recuperação, a moeda atingiu mínimas recordes em relação à divisa norte-americana por 11 sessões consecutivas. A lira já chegou a mostrar perda acumulada de até 45% de seu valor neste ano, com cerca de metade dessas perdas ocorrendo desde o início da semana passada.

O banco central da Turquia disse nesta quinta-feira que a inflação seguirá um curso volátil no curto prazo e que considerará concluir o uso do espaço limitado para a taxa básica de juros em sua reunião de dezembro.

Na ata da reunião do comitê de política monetária da semana passada, quando cortou sua taxa de juros em 1 ponto percentual, para 15%, o banco disse que espera que efeitos transitórios continuem impactando a inflação até o primeiro semestre de 2022.

(Por Ezgi Erkoyun e Daren Butler)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos