Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.240,40
    -4.345,92 (-7,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Lira turca marca novas mínimas perto de 10 por dólar

·1 min de leitura
Casa de câmbio em Ancara, na Turquia

Por Ezgi Erkoyun e Nevzat Devranoglu

ISTAMBUL (Reuters) - A lira turca deu continuidade nesta quinta-feira à queda para territórios desconhecidos, tocando nova mínima de 9,975 por dólar depois de o salto na inflação dos Estados Unidos ter exacerbado as preocupações com uma moeda já pressionada por cortes de juros não ortodoxos pelo banco central.

A lira chegou a perder mais de 1%, aproximando-se da marca psicológica de 10 por dólar. A moeda turca perdeu dois terços de seu valor em cinco anos, corroendo a renda dos turcos junto com uma inflação de dois dígitos.

Os dados acima do esperado da inflação nos Estados Unidos impulsionavam o dólar, conforme os investidores avaliam um possível aperto monetário mais cedo do que o esperado pelo Federal Reserve,

Aumentos dos juros nos EUA tendem a tirar fundos de economias emergentes com dívida externa alta, como a Turquia.

A lira perdeu 25% de seu valor este ano devido principalmente a preocupações com a credibilidade da política monetária, conforme o presidente Tayyip Erdogan pressiona por juros mais baixos para impulsionar o crescimento apesar de a inflação estar perto de 20%.

Desde setembro, o banco central cortou os juros em um total de 300 pontos básicos, para 16%, argumentando que as pressões inflacionárias são temporárias. Analistas esperam mais afrouxamento apesar dos juros reais negativos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos