Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.409,66
    -4.558,50 (-8,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Lira turca sofre queda histórica de 15% em onda de vendas inflamada por Erdogan

·3 min de leitura
Notas de lira em casa de câmbio em Ancara, Turquia

Por Daren Butler e Nevzat Devranoglu

ISTAMBUL (Reuters) - A lira turca chegou a despencar 15% nesta terça-feira, em seu segundo pior dia de história, depois de o presidente do país, Tayyip Erdogan, defender os recentes e acentuados cortes nas taxas de juros e prometer vencer sua "guerra econômica pela independência", apesar de críticas e apelos generalizados para reverter o curso.

A lira caiu a um piso de 13,45 por dólar, renovando mínimas históricas pela 11ª sessão consecutiva. Nesse patamar, a moeda perdeu 45% de seu valor neste ano, sendo 26% apenas desde o começo da semana passada.

Erdogan tem pressionado o banco central para entrar em um ciclo agressivo de flexibilização monetária que visa, segundo ele, aumentar as exportações, investimentos e empregos --mesmo com a inflação disparando para perto de 20% e a depreciação da moeda acelerando, o que afeta profundamente a renda dos turcos.

Muitos economistas consideraram imprudentes os cortes nos juros e têm pedido uma reversão de curso na política monetária, enquanto políticos da oposição apelaram para eleições antecipadas. Cidadãos turcos disseram à Reuters que o colapso vertiginoso da moeda está alterando seus orçamentos familiares e planos para o futuro.

Semih Tumen, que já foi vice-presidente do banco central e demitido no mês passado na mais recente mudança de comando do BC por Erdogan, pediu um retorno imediato a políticas que protejam o valor da lira.

"Este experimento irracional, que não tem chance de sucesso, deve ser abandonado imediatamente e devemos retornar a políticas de qualidade que protejam o valor da lira turca e a prosperidade do povo turco", disse ele no Twitter.

O tombo da moeda nesta terça-feira foi o pior desde o auge da crise cambial em 2018, que levou a uma recessão acentuada e a anos seguintes de crescimento econômico abaixo da média e inflação de dois dígitos.

A lira reduziu as perdas e, por volta de 11h20 (de Brasília) caía 7,7%, a 12,2500 por dólar. Mas a série de 11 pregões de baixas é a mais longa desde 1999.

O banco central cortou as taxas de juros em um total de 400 pontos-base desde setembro, deixando os rendimentos reais profundamente negativos, já que praticamente todos os outros bancos centrais começaram a apertar suas políticas monetárias ou estão se preparando para fazê-lo.

A lira tinha de longe o pior desempenho global neste ano devido principalmente ao que alguns analistas chamaram de "experimento" econômico prematuro do presidente que tem governado a Turquia por quase duas décadas.

O Partido AK, do qual Erdogan faz parte, está caindo nas pesquisas de opinião antes de eleições marcadas para o mais tardar em meados de 2023, refletindo um custo de vida nitidamente mais alto.

Em relação ao euro, a lira enfraqueceu para uma nova mínima recorde de 14,6442 por euro nesta terça-feira.

O rendimento dos títulos de referência de dez anos superou 21% pela primeira vez desde o início de 2019. Os títulos soberanos em dólares sofreram quedas acentuadas, com muitas emissões de prazos mais longos caindo 2 centavos, mostraram dados da Tradeweb.

Com a queda da lira, o índice Bist 100, referência para as ações turcas, subia 1,7%, devido à repentina queda nos "valuations" das empresas. Mas o índice de bancos caía 2,5%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos