Mercado abrirá em 1 h 6 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,48
    +3,33 (+4,89%)
     
  • OURO

    1.799,00
    +10,90 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    57.294,38
    +2.370,73 (+4,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.430,59
    -24,82 (-1,71%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.116,60
    +72,57 (+1,03%)
     
  • HANG SENG

    23.852,24
    -228,28 (-0,95%)
     
  • NIKKEI

    28.283,92
    -467,70 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.205,00
    +154,00 (+0,96%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2887
    -0,0598 (-0,94%)
     

Lira turca atinge novas mínimas com expectativa de outro corte de juros

·1 min de leitura

ANCARA (Reuters) - A lira da Turquia recuava mais de 1,7% nesta terça-feira, chegando a tocar uma nova mínima recorde de 10,24 por dólar, prejudicada pelas expectativas de outro corte de juros pelo banco central que, segundo analistas, está cedendo à pressão do governo.

A lira já perde 27% este ano, ficando com o pior desempenho nos mercados emergentes, principalmente devido às preocupações dos investidores sobre a influência do presidente do país, Tayyip Erdogan, na política monetária, em meio ao que muitos economistas chamam de um ciclo de afrouxamento prematuro e arriscado das condições monetárias.

O banco central deve cortar sua taxa básica de juros de 16% para 15% nesta semana, de acordo com uma pesquisa da Reuters, embora a inflação permaneça perto de 20% ao ano.

A autoridade monetária disse que a pressão da inflação é temporária e já cortou os juros em 300 pontos-base desde setembro. Foi então que as vendas da lira ganharam fôlego, alimentando, por sua vez, as pressões sobre os preços por meio das pesadas importações da Turquia.

A moeda turca já perdeu quase 33% em relação a seu patamar de meados de fevereiro, quando subiu para até 6,9 por dólar devido às expectativas de uma política monetária mais restritiva do banco central sob o mandato do ex-presidente da instituição, Naci Agbal.

(Por Tuvan Gumrukcu e Ali Kucukgocmen)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos