Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.046,46
    -430,85 (-0,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Lira e Pacheco pedem apoio de secretário-geral da ONU para envio de vacinas ao Brasil

Ricardo Brito
·1 minuto de leitura
Frascos rotulados como de vacina para Covid-19 em foto de ilustração

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - Os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), conversaram por telefone nesta segunda-feira com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, a respeito da pandemia de coronavírus e ações de apoio no fornecimento de vacinas de Covid-19 ao país.

"Conversei hoje, ao telefone, com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, para explicar sobre a grave situação sanitária em que se encontra o país. Falei da necessidade de aumentarmos o fluxo de entrega de vacinas ao país", disse Lira, em sua conta no Twitter.

Pacheco afirmou, também no Twitter, que expôs "a situação dramática do Brasil" e reforçou "o pedido de ajuda à ONU para o país se tornar prioridade do consórcio internacional Covax Facility para antecipação da entrega das vacinas".

Além dos presidentes das Casas do Congresso, governadores vão fazer uma teleconferência com a secretária-geral adjunta da ONU, Amina Mohamed, para pedir que a entidade coordene uma ajuda humanitária para o país, segundo a assessoria do governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

A ação envolveria ações para a obtenção de vacinas, aquisição de oxigênio, medicamentos e kit intubação no enfrentamento à pandemia.

“O Brasil tantas vezes foi solidário com outros países do mundo em ajudas humanitárias e agora o Brasil, neste Pacto Pela Vida, precisa de ajuda humanitária do mundo, principalmente com mais vacinas, e confiamos na ONU para alcançar esta sensibilidade e resultados para salvar vidas", disse Dias, via assessoria.