Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.594,29
    +2.255,67 (+4,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Linux 5.15 é lançado com mudança nos sistemas de arquivos e novos drivers

·3 min de leitura

Novembro acaba de chegar e trazer consigo uma baita novidade para os fãs do Linux: a versão 5.15 do kernel. O fundador do projeto, Linus Torvalds, anunciou em primeira mão todas as novidades via lista de e-mails, como sempre ocorre a cada nova versão: foco em melhoramentos de rede, correções de GPU, ajustes de bugs e expansão da lista de suporte.

O Linux 5.15 traz uma lista bem extensa de correções em camadas mais baixas do sistema e uma importante reestruturação do core do kernel. Uma das principais adições foi um novo driver com suporte aos arquivos NTFS, chamado NTFS3, que traz um aprimoramento considerável ao substituir o driver ntfs-3g antigo, graças ao código da Paragon Software.

Drivers e periféricos são os focos do Linux 5.15 (Imagem: Reprodução/OMGUbuntu)
Drivers e periféricos são os focos do Linux 5.15 (Imagem: Reprodução/OMGUbuntu)

Outra adição é o ksmdb, um servidor de arquivos no formato SMB que pode melhorar a organização de tudo. A ideia não é substituir o Samba, como alguns pensavam, mais complementá-lo para fornecer um módulo de espaço mais leve e rápido, com possibilidade de rodar o SMB3 do lado do servidor com manuseio aprimoramento e compatibilidade com ferramentas e bibliotecas de espaço do usuário.

Entre as inúmeras melhorias do sistema de arquivos, há um conjunto aprimorado para o EXT4, o sistema padrão do Ubuntu, o que deve trazer melhor desempenho de gravação do buffer delalloc. Os sistemas de arquivos EROFS agora passam a suportar E/S direta em arquivos descompactados, além de o Btrfs passar a obter suporte para garantia de integridade dos arquivos fs-verity — isso deve permitir que o kernel detecte modificações feitas em arquivos somente leitura.

Quase 17 anos após o começo do desenvolvimento, o código de bloqueio de preempção em tempo real foi fundido: as páginas de memória DRAM passam a ser movidas para a memória definitiva em vez de serem descartadas. Serão necessários alguns testes para entender como isso deve impactar no desempenho, de fato, mas são esperados consideráveis avanços.

Linux e Apple

Um dos destaques é o esforço para fazer o Linux funcionar no Apple Silicon, o que garantia a presença do código aberto nos dispositivos mais recentes da Maçã. Entre as mudanças está um novo driver IOMMU do Apple M1, que, embora não esteja pronto para o usuário final, introduzirá um ritmo de progresso bem mais efetivo a partir da próxima versão 5.16.

O Linux 5.15 traz aprimoramentos para o Apple Magic Mouse (uma rolagem com mais precisão), driver Wi-Fi Realtek RTL8 recente, driver para acesso à memória somente leitura OTP no Wii U e suporte para perfis de energia em laptops Acer selecionados. Ainda na linha dos periféricos para computadores, o kernel passa a oferecer suporte para o kit de desenvolvedor NVIDIA Jetson TX2 NX.

Foi acrescentado também o suporte adicional para Intel Alder Lake e bases estabelecidas para gráficos AMD Cyan Skillfish e Intel XeHP e DG2/Alchemist, bem como um novo driver de áudio AMD Van Gogh APU, pensado sob medida para o Steam Deck. Parece que o PC portátil da Valve está com bastante suporte da comunidade Linux, algo fundamental para o sucesso do projeto.

O Linux 5.15 está disponível para download como um código-fonte no site kernel.org, mas deve ser compilado manualmente para funcionar na sua distribuição favorita. Na leva inicial, é esperado que o kernel seja empacotado para ser liberado em versões instantâneas do Ubuntu, Linux Mint e Zorin OS, por isso, caso você não seja técnico, o ideal é aguardar que os desenvolvedores incorporem as modificações nas próprias distros, o que deve garantir maior compatibilidade e taxa de falhas reduzidas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos