Mercado abrirá em 6 h 52 min
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,00 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,96 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,95
    -0,79 (-1,00%)
     
  • OURO

    1.644,60
    -11,00 (-0,66%)
     
  • BTC-USD

    18.812,75
    -186,47 (-0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    431,05
    -13,48 (-3,03%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,29 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.862,22
    -71,05 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.484,88
    -668,95 (-2,46%)
     
  • NASDAQ

    11.278,75
    -98,00 (-0,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0819
    -0,0157 (-0,31%)
     

Linus Torvalds confirma Rust no kernel do Linux 6.1

O criador do Linux, Linus Torvalds, anunciou no último domingo (19) que a linguagem de programação Rust vai entrar no kernel do sistema operacional a partir do Linux 6.1. A novidade tem sido aventada pelo menos desde a Linux Plumber Conference de 2020, em que os desenvolvedores começaram a considerar o uso de Rust para o novo código inline do sistema operacional.

O Google, que dá suporte ao Rust para o desenvolvimento de projetos para o Android, que não deixa de ser uma distribuição do Linux, começou a pressionar para que a linguagem estivesse no kernel do sistema de código aberto pelo menos desde abril de 2021.

"Nós sentimos que o Rust está pronto para se juntar ao C como uma linguagem prática para implementar o kernel”, escreveu, à época, o programador brasileiro Wedson Almeida Filho, que trabalha no Google, integrando a equipe de desenvolvimento para Android. “Ele pode nos ajudar a reduzir o número de possíveis bugs e vulnerabilidades de segurança”, prosseguiu.

Rust no Linux: um tema polêmico

Cerca de um ano e meio depois, após muita negociação, parece que finalmente os principais desenvolvedores do kernel Linux foram convencidos de que realmente era uma boa ideia. Havia ressalvas, por exemplo, em relação a necessidade de diversas extensões que não são padrão da linguagem para que ela funcione adequadamente no sistema operacional.

Estima-se que seja necessário instalar mais de 70 extensões no Rust para que ele possa funcionar adequadamente. Porém, de acordo com Linus Torvalds, isso não é um problema, já que mesmo a linguagem C, por padrão, precisa que sejam usadas exceções para funcionar de forma adequada, e isso tem apresentado um bom resultado há algumas décadas.

As questões foram discutidas durante o Linux Kernel Keepers Summit, um evento restrito para poucos convidados. Na conferência, foi concluído que Rust funciona bem no Clang, que é o front-end do compilador da família de linguagem C. “Clang funciona, então mesclar Rust provavelmente ajudaria e não prejudicaria o kernel", disse Torvalds.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: