Mercado abrirá em 2 h 48 min
  • BOVESPA

    115.062,54
    -1.118,01 (-0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,53
    -0,08 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.778,10
    -16,70 (-0,93%)
     
  • BTC-USD

    47.983,25
    +670,81 (+1,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,13
    +37,91 (+3,17%)
     
  • S&P500

    4.480,70
    +37,65 (+0,85%)
     
  • DOW JONES

    34.814,39
    +236,82 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.049,79
    +33,30 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.469,50
    -34,50 (-0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1462
    -0,0498 (-0,80%)
     

LinkedIn encerra seus Stories um ano após o lançamento

·1 minuto de leitura
LinkedIn encerra seus Stories um ano após o lançamento
LinkedIn encerra seus Stories um ano após o lançamento

Se há algum tempo o modelo de Stories parecia ser uma grande tendência nas redes sociais, ganhando versões em praticamente todas as grandes plataformas, hoje a situação está bastante diferente e, após o Twitter, o LinkedIn também anunciou que vai encerrar seu sistema de fotos e vídeos rápidos que se apagam após 24 horas.

A empresa anunciou que vai encerrar o recurso até o fim de setembro. A justificativa é que a companhia percebeu que os usuários do LinkedIn, pela própria proposta profissional da rede social, preferem vídeos que fiquem fixos no perfil do que um conteúdo que se apaga, como os Stories. Por conta disso, o sistema vai desaparecer da plataforma.

Stories do LinkedIn

“No desenvolvimento dos Stories, presumimos que as pessoas não gostariam de vídeos informais anexados a seus perfis e que a efemeridade reduziria as barreiras que as pessoas sentem ao postar”, disse a Liz Li, diretora sênior de produto do LinkedIn. “Acontece que você deseja criar vídeos duradouros que contem sua história profissional de uma forma mais pessoal e que mostrem sua personalidade e experiência”, completou ainda.

Criado inicialmente no Snapchat, o modelo foi copiado e aprimorado no Instagram e depois levado para praticamente todas as redes sociais como o Facebook, Twitter e até mesmo o WhatsApp. No Twitter, o fim também foi cerca de um ano após o lançamento e o motivo foi a baixa adesão dos usuários.

O LinkedIn ainda disse que, apesar do fim dos Stories, vai continuar investindo em ferramentas de vídeos para a rede social. Recentemente foi anunciado um modelo de vídeo na capa, que pode servir como um currículo animado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos