Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.285,25
    -56,99 (-0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Linha AMD Ryzen 7000 estreia como primeiras CPUs de 5 nm para desktops

Após meses de teasers e vazamentos, a AMD anunciou na noite desta segunda-feira (29) a aguardada família de processadores Ryzen 7000. Composta por quatro CPUs, a linha promete avanços significativos em desempenho, chegando a superar rivais como o Intel Core i9 12900K em certos workloads, enquanto reduz drasticamente o consumo com o uso dos novos núcleos Zen 4 e da litografia de 5 nm da TSMC — mesmo processo usado pela Qualcomm no Snapdragon 8cx Gen 3 apresentado no final de 2021, porém este de fabricação da Samsung.

Novo núcleo Zen 4 em 5 nm

A fundação da família Ryzen 7000 é a microarquitetura Zen 4, que alimenta os novos núcleos da empresa. Curiosamente, como destaca a AMD, os núcleos Zen 4 não são uma revisão completa de microarquitetura, empregando refinamentos em múltiplas áreas da Zen 3 e focando em manter o fluxo de informações do front-end (por onde entram os dados do núcleo) elevado para garantir que a CPU sempre tenha instruções a realizar.

Outra novidade é a adição do suporte a instruções AVX-512, destinadas a aceleração de Inteligência Artificial, que devem beneficiar principalmente os profissionais. Dito isso, entusiastas de programas como emuladores de consoles podem ver benefícios com a adição — soluções como o RPCS3, um emulador de PS3, tira proveito dessas instruções para aprimorar o desempenho.

A AMD garante que o Ryzen 9 7950X é até 62% mais potente que o Intel Core i9 12900K, dependendo do workload, com performance por watt até 47% superior (Imagem: AMD/YouTube)
A AMD garante que o Ryzen 9 7950X é até 62% mais potente que o Intel Core i9 12900K, dependendo do workload, com performance por watt até 47% superior (Imagem: AMD/YouTube)

Completando as inovações, a linha passa a adotar a litografia de 5 nm da TSMC nos chiplets de CPU, os CCDs (Core Complex Die), sendo a primeira família de CPUs para desktop a ser fabricada em 5 nm. Segundo a companhia, houve colaboração direta com a fundição taiwanesa para o desenvolvimento de um processo otimizado para cargas de trabalho de Computação de Alta Performance (HPC).

Todas essas melhorias combinadas proporcionaram um aumento de 13% em Instruções por Clock (IPC), que somados aos clocks altíssimos que atingem os 5,7 GHz, resultariam em um ganho de cerca de 29% em desempenho por núcleo. Na prática, a AMD garante que toda a família Ryzen 7000 tem desempenho para superar o Intel Core i9 12900K em determinadas cargas de trabalho, incluindo o mais básico Ryzen 5 7600X.

Até mesmo o Ryzen 5 7600X entregaria desempenho competitivo com o Core i9 12900K em games (Imagem: AMD/YouTube)
Até mesmo o Ryzen 5 7600X entregaria desempenho competitivo com o Core i9 12900K em games (Imagem: AMD/YouTube)

A companhia chegou a divulgar alguns números de desempenho: a CPU premium Ryzen 9 7950X entregaria até 62% mais desempenho, com performance por Watt 47% maior em comparação ao 12900K. Nos games, mesmo o Ryzen 5 7600X superaria a solução avançada da Intel, com desempenho até 11% melhor, a depender do jogo.

Vale destacar, no entanto, que é comum a escolha dos melhores resultados para exaltar os produtos, e que não há informações completas de como foram realizados esses testes. Assim sendo, o ideal é aguardar pelos reviews que, segundo rumores, devem ser disponibilizados pela mídia especializada a partir de 13 de setembro.

Linha Ryzen 7000 chega em 4 modelos

A linha Ryzen 7000 é composta inicialmente por 4 processadores, liderados pelo Ryzen 9 7950X. A solução estreia com 16 núcleos e 32 threads, clock base de 4,5 GHz, boost de té 5,7 GHz, 80 MB de cache (L2 + L3) e TDP de 170 W — vale destacar que a AMD calcula o TDP de uma maneira diferente, que envolve a pressão do cooler, portanto o consumo deve variar, sendo necessário aguardar por testes.

Ainda mirando em entusiastas, logo abaixo está o Ryzen 9 7900X, de 12 núcleos e 24 threads, com clock base de 4,7 GHz, boost de até 5,6 GHz, cache de 76 MB e TDP de 170 W. Chegando ao segmento mainstream há o Ryzen 7 7700X, com 8 núcleos e 16 threads, clock base de 4,5 GHz, boost de até 5,4 GHz, cache de 40 MB e TDP de 105 W.

A linha é liderada pelo Ryzen 9 7950X, com 16 núcleos e clocks que atingem os 5,7 GHz (Imagem: AMD/YouTube)
A linha é liderada pelo Ryzen 9 7950X, com 16 núcleos e clocks que atingem os 5,7 GHz (Imagem: AMD/YouTube)

Por fim, na faixa intermediária, que deve atender melhor o público gamer, há o Ryzen 7 7600X. O componente conta com 6 núcleos e 12 threads, clock base de 4,7 GHz, boost de até 5,3 GHz, cache de 38 MB e TDP de 105 W. É importante notar como toda a linha subiu o TDP significativamente, algo que pode exigir a compra de um novo sistema de resfriamento, ainda que haja compatibilidade com coolers destinados às gerações anteriores.

Uma novidade interessante presente em todos os modelos é a adição de uma GPU integrada, algo inédito entre os chips que não tem final G. A iGPU é a mesma para as 4 CPUs: uma solução bastante modesta baseada na microarquitetura RDNA 2, mesma das placas RX 6000, com 2 Unidades Computacionais (CUs) operando a 2,2 GHz para entregar poder computacional de 0,563 TFLOPs, cerca de 1/3 do desempenho do Steam Deck.

Como explicou o Diretor Global de Marketing Técnico da AMD, Robert Hallock, em entrevista ao Canaltech, a função desses gráficos integrados não é proporcionar potência para games — cargo que ainda segue nas mãos das APUs da companhia — mas sim ter uma opção simples para testar sinal de vídeo e possibilitar tarefas básicas.

Plataforma AM5: recursos e suporte até 2025

Junto aos processadores, a AMD lança uma nova plataforma, baseada no soquete AM5. Essa é a primeira mudança de soquete pela qual a linha Ryzen passa desde sua primeira geração, em 2017, contando com mudanças importantes já anunciadas pela companhia no decorrer do ano. Os maiores destaques vão para adoção exclusiva de RAM DDR5, novo encaixe LGA (em que os pinos estão na placa-mãe), suporte a PCIe 5.0 e maior entrega de energia às CPUs.

Serão disponibilizadas placas-mãe com quatro chipsets diferentes: o X670, o X670E (Extreme), o B650 e o inédito B650E, conhecido até então apenas pelos vazamentos. Como de costume, os modelos X entregarão designs mais robustos e melhor capacidade de overclocking, enquanto os B tentam equilibrar os melhores recursos com o preço.

As placas-mãe AM5 contarão com 4 chipsets: o X670, o X670E, o B650 e o B650E — os modelos "E" se diferenciam por oferecer PCIe 5.0 para GPU e armazenamento (Imagem: AMD/YouTube)
As placas-mãe AM5 contarão com 4 chipsets: o X670, o X670E, o B650 e o B650E — os modelos "E" se diferenciam por oferecer PCIe 5.0 para GPU e armazenamento (Imagem: AMD/YouTube)

As variantes "Extreme", por sua vez, se diferenciam por exigir que a fabricante destine pistas PCIe 5.0 tanto para placas de vídeo quanto para armazenamento, enquanto as versões tradicionais oferecerão o barramento mais veloz em apenas uma dessas aplicações. As placas X670 e X670E estreiam em setembro, com as soluções B650 e B650E chegando em outubro, trazendo preços que partem de US$ 125 (~R$ 630).

Ainda relacionado à plataforma, a AMD anunciou o AMD EXPO, ou Extended Profiles for Overclocking, novidade equivalente ao Intel XMP 3.0 que estabelece perfis de taxa de transferência (MT/s) e latência CAS para as memórias RAM automaticamente. Serão 15 kits diferentes compatíveis com o EXPO, incluindo modelos recém-anunciados da Corsair e da G.Skill.

O AMD EXPO chega para ser o "Intel XMP 3.0" da empresa, realizando o overclocking automático da memória RAM (Imagem: AMD/YouTube)
O AMD EXPO chega para ser o "Intel XMP 3.0" da empresa, realizando o overclocking automático da memória RAM (Imagem: AMD/YouTube)

Por fim, a AMD confirmou que os primeiros SSDs M.2 NVMe PCIe 5.0, quie prometem velocidades de leitura de até 13 GB/s no momento, estrearão em novembro, mas preços não foram anunciados.

Primeira amostra das GPUs RDNA 3

O evento foi concluído com uma breve amostra das próximas GPUs da gigante, baseadas na microarquitetura RDNA 3 e até então conhecidas como Radeon RX 7000. Não é possível ver detalhes, mas ao que parece, as placas devem contar com refrigeração mais robusta e um design refinado frente às placas RX 6000. A linha se destacará por ser a primeira para consumidores a utilizar chiplets em 5 nm.

A AMD também deu uma amostra das placas RX 7000, baseadas em RDNA 3, mas manteve mistério ao apenas garantir que as GPUs chegam ainda em 2022 (Imagem: AMD/YouTube)
A AMD também deu uma amostra das placas RX 7000, baseadas em RDNA 3, mas manteve mistério ao apenas garantir que as GPUs chegam ainda em 2022 (Imagem: AMD/YouTube)

A AMD exibiu o modelo mais avançado rodando o game Lies of P em 4K no preset do Ultra junto a um Ryzen 9 7950X, mas não divulgou detalhes de performance. É possível notar como o título rodava com boa fluidez, mas é cedo para comentar qualquer aspecto de desempenho. Segundo a companhia, as placas já estão em testes avançados nos laboratórios e devem estrear ainda em 2022.

Preço e disponibilidade

A linha AMD Ryzen 7000 chega ao mercado em todo o mundo a partir do dia 27 de setembro, com os seguintes preços sugeridos:

  • AMD Ryzen 9 7950X — US$ 699 (~R$ 3.520)

  • AMD Ryzen 9 7900X — US$ 549 (~R$ 2.765)

  • AMD Ryzen 7 7700X — US$ 399 (~R$ 2.010)

  • AMD Ryzen 5 7600X — US$ 299 (~R$ 1.510)

Em sessão de perguntas após o lançamento, a CEO da empresa, Dra. Lisa Su, garantiu que não haverá falta de estoque diante das preparações feita pela gigante em resposta à última crise dos semicondutores. A executiva revelou ainda que o prazo longo entre o anúncio e a disponibilidade é outra medida preventiva para garantir que os consumidores tenham acesso às novidades sem dificuldade.

"Do ponto de vista da AMD, nós aumentamos dramaticamente nossa capacidade geral, em termos de wafers [de silício], bem como de substratos e no back end. Então com nosso lançamento de Zen 4 não esperamos nenhuma limitação de estoque. Logisticamente leva tempo para as coisas chegarem às regiões. Então estamos tendo este evento no final de agosto e começamos nossas vendas em 27 de setembro."

"Uma das razões para essa janela de tempo, francamente, é para termos certeza que temos o produto em todas as regiões para que as pessoas possam realmente buscar comprá-las por completo", concluiu Lisa Su. Informações sobre disponibilidade específica no Brasil não foram divulgadas, mas considerando que os últimos lançamentos da empresa chegaram ao país simultaneamente com o restante do mundo, este também deve ser o caso dos Ryzen 7000.

AMD Ryzen 7000: ficha técnica

Processador

Núcleos/Threads

Clock Base/Boost

Cache (L2 + L3)

Gráficos Integrados

TDP (W)

AMD Ryzen 9 7950X

16/32

4,5 GHz/5,7 GHz

80 MB

2 CUs RDNA 2 a 2,2 GHz

170 W

AMD Ryzen 9 7900X

12/24

4,7 GHz/5,6 GHz

76 MB

2 CUs RDNA 2 a 2,2 GHz

170 W

AMD Ryzen 7 7700X

8/16

4,5 GHz/5,4 GHz

40 MB

2 CUs RDNA 2 a 2,2 GHz

105 W

AMD Ryzen 5 7600X

6/12

4,7 GHz/5,3 GHz

38 MB

2 CUs RDNA 2 a 2,2 GHz

105 W

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: