Mercado abrirá em 2 h 4 min
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,90
    -0,45 (-0,73%)
     
  • OURO

    1.787,20
    -5,90 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    54.052,29
    -1.568,11 (-2,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.255,38
    -7,58 (-0,60%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.898,77
    +3,48 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.907,50
    -11,75 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6444
    -0,0576 (-0,86%)
     

Liminar suspende leilão de privatização da elétrica gaúcha CEEE-D

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - Uma decisão judicial liminar suspendeu o leilão de privatização da distribuidora de energia elétrica CEEE-D, controlada pelo governo do Rio Grande do Sul, que estava agendado para 31 de março, segundo documento da Justiça visto pela Reuters.

A liminar foi concedida na sexta-feira, após ação movida por pessoas físicas que incluem um membro da União Gaúcha, entidade formada por sindicatos locais.

No processo, a União Gaúcha criticou o valor definido para a venda da companhia, de 50 mil reais, bem como perdão de impostos devidos pela empresa ao Estado.

O governo do Rio Grande do Sul tem defendido que o baixo preço definido pela empresa deve-se ao patrimônio líquido negativo da elétrica, que acumulava dívidas do tributo estadual ICMS de 3,2 bilhões de reais até junho de 2020.

A administração estadual também afirmou anteriormente que a desestatização prevê que o novo controlador da companhia deverá reestruturar dívidas da empresa e retomar os pagamentos de ICMS.

Na liminar contra o leilão, a desembargadora Laura Louzada Jaccottet definiu que a licitação deve ser suspensa ao menos até julgamento de recurso no caso.

"O mal maior é permitir-se a entrega da empresa estatal energética, que distribui energia elétrica para a maior parte das cidades gaúchas, em patamares aviltantes", escreveu ela na decisão.

Antes previsto para 3 de fevereiro, o leilão da CEEE-D foi reprogramado para 31 de março pelo governo gaúcho no início do ano.

(Por Luciano Costa)