Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    23.463,20
    +79,43 (+0,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Liga da Justiça “dá um tempo” e é substituída por outro supergrupo nas HQs

Dark Crisis on Infinite Earths veio para cravar um novo começo na cronologia da DC, depois de vários reboots “instáveis” e que pareciam levar a lugares, digamos, muito “abstratos”. A última saga da DC Comics trouxe de volta tramas dos anos 1980 e combinou com os momentos recentes de outros megaeventos. E, para dar o pontapé inicial da fase que em sendo chamada de Dawn of DC (ou “Crepúsculo da DC”, na tradução livre), a editora aposenta temporariamente a Liga da Justiça e a substitui por outro conhecido supergrupo.

Atenção para spoilers de sagas e revistas recentes publicadas pela DC Comics!

Bem, só para resumir os dois megaeventos anteriores, em Noites de Trevas: Death Metal, a DC abriu caminho para a renovação de seus títulos, trazendo todas as Terras do Multiverso de volta, com direito a Multiversos — sim, no plural. Ou seja, tudo o que foi publicado passou a fazer parte do cânone oficial da editora. E, em Fronteira Infinita, a companhia colocou seus personagens clássicos em um patamar superior, que ainda precisa ser posicionado em um mundo que a nova geração de heróis também precisa encontrar seu lugar para brilhar.

Superman e Mulher-Maravilha deixam os heróis na liderança de Asa Noturna (Imagem: Reprodução/DC Comics)
Superman e Mulher-Maravilha deixam os heróis na liderança de Asa Noturna (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Por exemplo, o Superman e a Mulher-Maravilha estão tão poderosos que estão mesmo mais perto de divindades. E Batman definitivamente não pode ser visto somente como o protetor de Gotham, e sim do mundo — ou dos Multiversos. E seus sucessores passaram a ter mais espaço, mostrando suas diferenças com a velha guarda e mantendo a chama do legado acesa.

Asa Noturna também recebe a "benção" de Batman para substituir a Liga da Justiça (Imagem: Reprodução/DC Comics)
Asa Noturna também recebe a "benção" de Batman para substituir a Liga da Justiça (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Editorialmente falando, é a DC tentando, desta vez de uma forma mais organizada, agradar seu público veterano e trazendo novos leitores e a audiência dos filmes para os quadrinhos — as tentativas anteriores não foram bem-sucedidas nessa tarefa. E a ausência da Liga da Justiça tem tudo a ver com isso.

Liga da Justiça é substituída pelos Titãs

Quando Dark Crisis on Infinite Earths acabou, muita coisa do passado veio à tona, e os heróis perceberam que, além dos erros que cometeram, talvez a abordagem da Liga da Justiça não faça mais tanto sentido nos Multiversos atuais — e isso é até mesmo metalinguístico, pois também é algo que os próprios autores vêm repensando nos últimos anos.

Em Nightwing #100, lançado nesta terça-feira (17), o Asa Noturna precisa da ajuda de seus amigos de Novos Titãs para combater um vilão. Assim, a equipe clássica adorada pelos leitores se reúne novamente, com Dick Grayson liderando a equipe formada por Donna Troy, o Flash Wally West, Ravena, Mutano e Ciborgue.

Adorado pelos fãs, os Titãs serão os substitutos da Liga da Justiça, que vai repensar sua missão na Terra (Imagem: Reprodução/DC Comics)
Adorado pelos fãs, os Titãs serão os substitutos da Liga da Justiça, que vai repensar sua missão na Terra (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Em seguida, ao visitar o Hall da Justiça destruído durante Dark Crisis on Infinite Earths, a Mulher-Maravilha e o Superman pedem ao Asa Noturna liderar os heróis enquanto eles “discutem o futuro da Liga da Justiça”. Vale ressaltar que Dick teve bastante importância nesse mesmo papel durante o evento que acabou.

Agora muito rico, após herdar as propriedades de Alfred, o Asa Noturna decide, então, aceitar esse papel, especialmente depois de receber a “benção” de Batman. Dick vai trazer de volta a Torre Titã e seus colegas para substituir a Liga da Justiça, enquanto os heróis da velha guarda reavaliam suas missões nessa nova DC.

É uma jogada ousada e muito interessante da DC, como há muito não víamos. Trazer de volta os Titãs com a formação clássica é algo que os fãs queriam há muito tempo, e nada mais lógico para renovar os heróis e abrir espaço para a nova geração do que mostrar o amadurecimento da casta anterior. Além disso, as grandes ameaças do mundo agora estão pareadas com o Exterminador, que sempre foi o grande inimigo de Asa Noturna e seus colegas.

E a Liga da Justiça? Bem, a melhor forma de você provar o quanto alguns heróis fazem falta é mostrar o que acontece com as pessoas e o mundo na ausência deles. É o caminho mais coerente e compreensível que a DC vem tomando há anos, e, agora, há realmente uma chance de novos leitores se juntarem aos veteranos, com a mesma atenção.

Se isso vai realmente dar certo e se provar tão interessante quanto parece, só o tempo dirá.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: