Mercado fechará em 54 mins

Liberação de auxílio de R$ 600 depende de aprovação de PEC, diz Guedes

BERNARDO CARAM, DANIEL CARVALHO, GUSTAVO URIBE E NATÁLIA CANCIAN
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 31-03-2020, 18h00: Os ministros da Justiça, Sérgio Moro, da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, da Casa Civil, General Braga Netto e da Economia, Paulo Guedes, durante coletiva de imprensa para falar sobre as ações do governo no Combate ao novo Coronavírus. No palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Embora o projeto que libera auxílio emergencial de R$ 600 a informais tenha sido aprovado pelo Congresso, restando apenas a sanção do presidente Jair Bolsonaro, o início dos pagamentos à população ainda terá que esperar a aprovação pelo Legislativo de emenda constitucional do chamado "orçamento de guerra".

A informação de que os pagamentos à população considerada vulnerável à pandemia do novo coronavírus pode levar mais tempo foi dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto nesta terça-feira (31).

De acordo com o ministro, a efetivação da medida dependerá de trâmites jurídicos e legislativos.

"Tem um problema técnico de liberação de fontes. E aí está se discutindo a velocidade com que se pode aprovar uma PEC para dar origem e fontes a essas despesas. Do ponto de vista técnico, está tudo pronto na Economia. Agora é um trâmite politico e jurídico", disse.