Mercado abrirá em 1 h 12 min
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,71
    +0,32 (+0,44%)
     
  • OURO

    1.827,10
    +27,40 (+1,52%)
     
  • BTC-USD

    39.736,63
    -1.053,33 (-2,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    932,40
    +2,48 (+0,27%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.078,37
    +61,74 (+0,88%)
     
  • HANG SENG

    26.315,32
    +841,44 (+3,30%)
     
  • NIKKEI

    27.782,42
    +200,76 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    14.981,75
    -29,75 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0810
    +0,0225 (+0,37%)
     

LGPD: maior parte dos brasileiros não conhece a legislação, diz Febraban

·2 minuto de leitura
LGPD: maior parte dos brasileiros não conhece a legislação, diz Febraban
LGPD: maior parte dos brasileiros não conhece a legislação, diz Febraban

Uma pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) aponta que apenas 37% dos brasileiros afirmam conhecer “muito bem” ou “mais ou menos” a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), enquanto que 60% diz só ter “ouvido falar” ou sequer conhece a legislação.

O estudo aponta que a maior parte dos brasileiros já sofreu alguma tentativa de fraude de dados pessoais, ou então conhece alguém que tenha passado por esse tipo de problema.

Além disso, grande parte (86%) dos brasileiros teme a violação de dados pessoais.

Símbolo da LGPD estampado no botão enter, de um teclado
Maior parte dos brasileiros não conhece as leis de proteção de dados. Crédito: Shutterstock

A pesquisa da Febraban foi realizada com 3 mil entrevistados maiores de 18 anos, de todas as regiões do Brasil, no período de 18 a 25 de junho de 2021.

Quando questionados sobre a Lei 14.155, que prevê punições mais severas para fraudes e golpes cometidos em meios eletrônicos, 36% dos entrevistados afirmam conhecer “bem” ou “mais ou menos”, enquanto que 61% dizem “só ter ouvido falar” ou “nunca ter tido acesso à legislação”.

Apesar do pouco conhecimento sobre a legislação brasileira para proteção de dados, 5% dos entrevistados apontam que as leis são “muito eficientes”, enquanto a maioria (50%) afirma ser “pouco eficientes”.

Outros 24% consideram a legislação apenas “eficiente” e 16% dizem que a lei não é eficiente.

A opinião da população sobre a eficácia das leis de proteção de dados vai ao encontro do que afirmam sobre o endurecimento dessa legislação. Considerando que a maioria dos entrevistados afirma que a lei não é eficiente, era esperado que a maioria também afirmasse que a legislação precisa ser mais rígida.

Assim, 76% esperam que a regulamentação passe a ser mais dura, enquanto que apenas 10% afirmam que as leis deveriam ser mais leves. Outros 6% disseram que a legislação deve continuar como está.

Leia também!

Segurança digital é um tema que a sociedade precisa encarar de frente e já está fazendo, pois diariamente esses crimes afetam pessoas e empresas, ganham espaço no noticiário econômico, político e policial envolvendo não só o cidadão, mas também grandes corporações e instituições públicas e privadas”, disse Isaac Sidney, presidente da Febraban.

Uma parte surpreendente dos entrevistados (91%) acredita que as tentativas de violação de dados cresceram muito durante a pandemia da Covid-19.

Os entrevistados, ainda, relataram terem sido vítimas ou ter parentes que sofreram golpes online, como mensagens e ligações fraudulentas de dados pessoais ou bancários, pedidos de depósitos falsos, cobrança indevida em cartões de débito e crédito, invasão de e-mail e redes sociais e até a clonagem do WhatsApp.

Para ver detalhes e acessar a pesquisa completa, clique aqui.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos