Mercado abrirá em 5 h 3 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,03
    -0,12 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.815,20
    +0,70 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    38.804,82
    +1.018,97 (+2,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    961,25
    +34,49 (+3,72%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.119,06
    -4,80 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.203,98
    -222,57 (-0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.090,00
    +16,50 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

Lewandowski arquiva interpelação judicial contra Celso de Mello

·1 minuto de leitura

Pedido apresentado no STF se referia a uma mensagem enviada pelo ministro criticando apoiadores do presidente Bolsonaro e a intenção deles em "instaurar uma ditadura" O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou arquivar um pedido apresentado à Corte contra o decano Celso de Mello. A interpelação judicial pedia esclarecimentos sobre uma mensagem enviada por Celso, que comparou o Brasil à Alemanha comandada por Adolf Hitler e afirmou que “bolsonaristas odeiam a democracia” e almejam instaurar no Brasil “uma abjeta ditadura militar” Para o advogado Rodrigo Marinho de Oliveira, que se descreve como apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Celso praticou o crime de abuso de autoridade e delitos contra a honra do chefe do Executivo. Lewandowski, no entanto, arquivou a interpelação por considerar que o advogado não poderia falar em nome do presidente. "Destaco que o fato de o autor dizer-se entusiasta do Chefe do Poder Executivo Federal não o torna sujeito passivo de toda e qualquer afirmação que diga respeito a este grupo de seus eleitores ou apoiadores. Tal elasticidade hermenêutica das elementares típicas do delito, destaco, é de todo incompatível com a legalidade estrita inerente às condutas subsumidas à esfera do Direito Criminal", disse o ministro em sua decisão. Pedido apresentado contra Celso de Mello no STF foi arquivado Dorivan Marinho/STF

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos