Mercado fechado

Lembra do polêmico FaceApp? Ele agora funciona com vídeos

Ramon de Souza
·2 minuto de leitura

Você se lembra do FaceApp, o aplicativo que viralizou — duas vezes! — nas redes sociais e causou polêmica por adotar uma política de privacidade abusiva? Pois bem: tudo indica que ele está prestes a se popularizar novamente, já que, em sua recente atualização 4.0, ele ganhou a capacidade de aplicar os filtros que todo mundo já gostava em clipes de vídeo. Era tudo o que os jovens da “geração TikTok” precisavam para se divertir.

Não há muito segredo aqui. Ao abrir o app atualizado, o usuário verá uma nova guia batizada de “Video” — basta tocar nela para gravar um vídeo ou abrir um clipe que esteja salvo na sua galeria multimídia. No total, são quatro filtros gratuitos (Jovem, Idoso, Sorridente e Chateado, em traduções livres) e três que podem ser comprados com uma assinatura FaceApp Pro (Hollywood, Maquiagem e Beijo).

<em>Imagem: Reprodução/Jules Wang (AndroidPolice)</em>
Imagem: Reprodução/Jules Wang (AndroidPolice)

Vale observar que o FaceApp Pro custa US$ 5 (R$ 28,32 na cotação direta) por mês, US$ 30 (R$ 169,93) por ano ou US$ 50 (283,21) por uma licença vitalícia — o que, venhamos e convenhamos, é uma quantidade razoável de dinheiro para se investir em um aplicativo de tal natureza. Ademais, vale a pena observar que, segundo relatos de quem já experimentou a nova função, é necessário ter um aparelho potente para que o processamento de vídeo ocorra de forma aceitavelmente rápida.

Para quem não acompanhou o histórico do FaceApp, aqui vai uma rápida recapitulação: ele virou febre pela primeira vez em julho de 2019, mas causou polêmica ao afirmar, em suas políticas de uso, que o usuário daria uma licença “perpétua, irrevogável, irrestrita, não exclusiva e livre de royalties” das selfies enviadas para processamento no aplicativo. Após um cair no esquecimento, o software retornou após uma atualização em junho de 2020 — desta vez, com termos de privacidade mais brandos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: