Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.980,20
    +2.684,02 (+2,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.861,66
    -28,00 (-0,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,45
    -0,31 (-0,37%)
     
  • OURO

    1.808,00
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    62.829,76
    +2.179,52 (+3,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.505,86
    +1.263,18 (+520,52%)
     
  • S&P500

    4.566,48
    +21,58 (+0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.741,15
    +64,13 (+0,18%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.513,50
    +172,50 (+1,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4522
    -0,1286 (-1,95%)
     

Leila Pereira decide chapa para eleição presidencial no Palmeiras

·1 minuto de leitura


A empresária Leila Pereira definiu a composição de sua chapa para a disputa da eleição presidencial no Palmeiras. São quatro vices escolhidos e todos já trabalham no clube, sendo que o primeiro nome, Paulo Buosi, já ocupa a função. A informação foi publicada em primeira mão pelo jornalista André Galvão.

Além de Buosi, Maria Tereza Ambrósio Bellangero, Neive Conceição Bulla de Andrade e Tarso Luiz Furtado Gouveia fazem parte da chapa. No Palmeiras, Maria cumpre a função de diretora estatutária de patinação, enquanto Neiva é membro do Conselho de Orientação e Fiscalização e Tarso trabalha como diretor do departamento de interior.

Favorito ao pleito, o grupo de Leila Pereira concorrerá com Mario Gianni, candidato da oposição que tem vínculos com Mustafá Contursi, conselheiro vitalício do clube. O registro da chapa ainda não foi efetuado, mas deve ocorrer em breve.

O detalhe é que Gianni não terá o apoio do ex-mandatário Paulo Nobre, e tampouco de seus parceiros. Apesar da expectativa de contar com suporte do grupo, os participantes deixaram claro que não tem intenções de atuar nas eleições alviverdes.

O mandato do atual presidente Maurício Galiotte se encerra no final do mês novembro, quando acontece o pleito. Antes de concorrer ao cargo na Assembleia de Sócios, é necessário conseguir 15% de aprovação no Conselho. Ao final do processo, será eleito o presidente que ficará três anos na cadeira presidencial do Palmeiras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos