Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.927,60
    -2,40 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    23.396,37
    +381,64 (+1,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Leilões de energia existente negociam 205 MWmédios, somando R$440 mi em contratos

Torres de linha de transmissão de energia

SÃO PAULO (Reuters) - Os leilões de energia existente A-1 e A-2, realizados nesta sexta-feira, negociaram 205 megawatts (MW) médios, somando 400 milhões de reais em contratos para fornecimento entre janeiro de 2023 e dezembro de 2025, segundo informações da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Os leilões de energia existente, dos tipos A-1 e A-2, são destinados ao atendimento do mercado regulado e servem para que distribuidoras façam reposição de contratos no curto prazo.

No certame A-1, foram negociados 61 MW médios de energia, com deságio de 28,72%. Venderam energia as empresas Indra Energia, Libertha e Safira, e foram compradoras as distribuidoras Celpa e Cemar, do grupo Equatorial Energia, e CPFL Jaguari, da CPFL.

Já no leilão A-2, foram comercializados 144 MW médios, com deságio de 12,03%. Delta, Gold, São Roque, Stima e Trinity venceram a disputa e devem direcionar a energia para as distribuidoras Celpa, Cemar e Coelce, da Enel Brasil.

(Por Letícia Fucuchima)