Mercado fechado

Leilão de 5G deve ter viés não arrecadatório, diz executivo da Ericsson

Rodrigo Carro
·1 minuto de leitura

Segundo Eduardo Ricotta, os serviços de telecomunicações passaram da décima posição no ranking de prioridade de consumo das famílias para a terceira colocação. Sergio Zacchi/Valor O presidente-executivo da Ericsson para a América Latina, Eduardo Ricotta, disse nesta terça-feira, durante seminário virtual, que as modificações no perfil de uso da Internet no país devem se manter pelos próximos anos, mesmo após o arrefecimento da pandemia. Em sua fala inicial, Ricotta defendeu que, devido à importância das telecomunicações, o leilão de frequências para prestação do serviço 5G, previsto para 2021, tenha um viés não arrecadatório. Em palestra no “Painel Telebrasil 2020”, promovido pela Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), o executivo lembrou que, por causa da pandemia, os serviços de telecomunicações passaram da décima posição no ranking de prioridade de consumo das famílias no país para a terceira colocação. “Houve um aumento de 41% no uso de serviços de telecomunicações”, informou o Ricotta. Ele citou o exemplo dessas novas prioridades, também, o aumento de 32% nos pagamentos via celular durante a pandemia. A necessidade de distanciamento social durante a pandemia levou a mudanças em setores relevantes da econômica. Segundo ele, no varejo, em cinco meses ocorreu um processo de digitalização que em condições normais demoraria de um a três anos para acontecer.