Mercado abrirá em 1 h 57 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,04
    +0,27 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.852,30
    -2,90 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    31.900,02
    -468,27 (-1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    643,78
    -3,54 (-0,55%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.684,82
    +45,97 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.428,25
    -47,25 (-0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Lee, da Samsung, promete mudança em audiência final de julgamento sobre corrupção

Joyce Lee
·2 minuto de leitura
Lee, da Samsung, promete mudança em audiência final de julgamento sobre corrupção

Por Joyce Lee

SEUL (Reuters) - O vice-presidente do conselho de administração da Samsung Electronics, Jay Y. Lee, disse nesta quarta-feira a um tribunal de Seul, na audiência final de um julgamento que decidirá se ele retornará à prisão por alegado suborno, que "fará uma nova Samsung".

O herdeiro de uma das famílias mais poderosas da Coreia do Sul foi condenado por subornar um sócio da ex-presidente Park Geun-hye e preso por 5 anos em 2017.

Essa sentença foi reduzida e suspensa após recurso e ele cumpriu apenas 1 ano de prisão antes de ser libertado em 2018.

Uma decisão subsequente da Suprema Corte enviou o assunto de volta ao Supremo Tribunal de Seul, que agora deve decidir sobre uma nova sentença. A decisão está marcada para 18 de janeiro.

"A Samsung tem corrido sem olhar para trás, mas eu perdi algo vital. Embora tenha se tornado a empresa líder da Coreia, a importância de seu papel social, responsabilidade e confiança pública foi negligenciada", disse Lee, lendo uma declaração no tribunal.

"Agora a Samsung será diferente. Serei o primeiro a mudar ... Não importa o que aconteça, nunca farei nada para perseguir meus interesses pessoais. Vou aumentar o valor da empresa e focar nas contribuições sociais, consertar o que o tribunal apontou como os danos de 'chaebol'", disse ele.

Os grandes conglomerados familiares da Coreia do Sul, ou chaebol, são reconhecidos por ajudar a tirar o país da pobreza após a Guerra da Coreia, mas foram criticados por exercer muito poder preservado em parte por meio de elaboradas participações cruzadas internas.

Embora não seja o único desafio legal com que Lee está lidando - ele também está sendo julgado por suposta fraude e manipulação do preço das ações - o caso de suborno é a maior ameaça imediata à sua liderança na Samsung Electronics.

Lee, de 52 anos, é o chefe de fato da Samsung Electronics desde que seu pai, Lee Kun-hee, foi hospitalizado em 2014. O Lee mais velho faleceu em outubro, mas seu papel como presidente ainda não foi preenchido.