Mercado abrirá em 4 h 53 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,69
    +1,19 (+1,93%)
     
  • OURO

    1.752,00
    +23,20 (+1,34%)
     
  • BTC-USD

    46.356,62
    +1.738,34 (+3,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    926,46
    -6,68 (-0,72%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    29.422,52
    +442,31 (+1,53%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.110,00
    +199,00 (+1,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7559
    -0,0024 (-0,04%)
     

Learning With Google ressalta relação entre educação e tecnologia na pandemia

Nathan Vieira
·8 minuto de leitura

De uma coisa, nós sabemos: são tempos difíceis para a área da educação. Desde o início da pandemia, a população buscou desesperadamente a tecnologia para que a educação não ficasse estagnada. Inclusive, aqui no Canaltech já afirmamos que 2020 foi o ano em que descobrimos a verdadeira importância da educação. Resta saber como vai ser em 2021. E foi tendo em mente essa relação entre os aprendizados e a tecnologia que o evento Learning With Google foi feito nesta quarta (17).

A ideia do evento foi ressaltar o que existe dentro Google voltado para a educação, incluindo novos produtos, recursos e serviços para ajudar escolas e universidades, educadores e alunos. No ano passado, a comunidade educacional se reuniu em uma escala e uma velocidade sem precedentes. Foi necessário demonstrar criatividade e resiliência diante de enormes desafios e para manter seus alunos interessados e motivados, o que levou a equipe do Google for Education a aprimorar as plataformas de aprendizagem.

No evento foi possível ouvir os líderes do programa do Google, além do acesso às últimas notícias e lançamentos de produtos da empresa, voltados para a educação, que incluem o G Suite for Education, Google Sala de Aula, Google Meet e Chromebooks. Além disso, também foram apresentadas histórias de educadores de todo o mundo que estão usando produtos do Google para reimaginar o ensino e a aprendizagem a distância.

O evento contou com introdução do CEO da Alphabet, Sundar Pichai: "A educação sempre foi essencial para a nossa missão de organizar a informação do mundo, tornando-a universalmente acessível e útil. Ambas estão profundamente ligadas. É a aprendizagem que torna a informação útil, e que possibilita às pessoas aplicarem o conhecimento para melhorar as coisas para si, suas famílias e comunidades", declarou.

"Nunca imaginei que os chromebooks seriam usados para ajudar alunos a se conectarem em salas de aula virtuais numa pandemia. Foi, no mínimo, um ano difícil. Tenho orgulho de ter conseguido ajudar de alguma maneira: 150 milhões de alunos, educadores e dirigentes escolares em todo o mundo estão usando o Google Classroom, em comparação com 40 milhões no ano anterior. Vimos professores reunidos no YouTube para se ajudarem, enquanto mantinham os alunos motivados e as salas de aula seguras", observou o CEO da Alphabet.

"A necessidade de aprender e ensinar de qualquer lugar é infinita, mesmo que a pandemia acabe. Temos a oportunidade incrível de reimaginar a aprendizagem para o futuro. Assim, no ano passado, focamos em aprendizagem e educação com base em um projeto de longo prazo", discursou Pichai.

Educação na pandemia

Evento Learning with Google ressalta a relação entre a tecnologia e a área da educação durante o período de pandemia em 2020 (Imagem: August de Richelieu no Pexels)
Evento Learning with Google ressalta a relação entre a tecnologia e a área da educação durante o período de pandemia em 2020 (Imagem: August de Richelieu no Pexels)

Em seguida, executivos ligados às áreas de educação do Google passaram a explicar como a empresa contribuiu com os países em meio à ascensão do ensino a distância durante o início da pandemia. O primeiro caso trazido à tona foi o da Itália, que buscou a empresa em busca de ajuda em meio à pandemia. Como resposta, a companhia ativou as ferramentas do Google for Education para todas as escolas italianas. "No começo, houve um período de confusão, porque muitos desconheciam essas ferramentas e precisaram aprender do zero. Antes da pandemia, o uso de ferramentas tecnológicas era raro. Assim, trabalhamos com muitos parceiros para ajudar os professores", contou Giorgia Albertino, diretora de Políticas do Google Europa.

"Famílias, alunos e professores agora sabem o que é educação digital integrada. Fizemos grandes progressos. A escola italiana pós-coronavírus será uma escola melhorada. O ensino digital na sala de aula pode ser alcançado, e teremos que falar a língua do século XXI, que é o que nossos alunos precisam", observou Lucia Azzolina, ministra da educação pública da Itália.

Além de focar na situação como um todo, o evento também trouxe declarações dos próprios educadores que viram mais de perto essas ferramentas, no cotidiano durante a pandemia. "O Google for Education definitivamente me fez economizar muito tempo. Eu quero que todas as crianças saiam daqui preparadas para qualquer que seja seu objetivo. Essa é a minha visão. A tecnologia abre tantos caminhos", apontou a professora norte-americana Cristina Adcock.

Avni Shah, líder da equipe do Google for Education, descreveu como o time uniu forças para turbinar as ferramentas destinadas a escolas e universidades, frente aos desafios impostos pela pandemia. "Tivemos o privilégio de ver exclusivamente como a educação estava sendo afetada diariamente ao redor do mundo. Embora a tecnologia sozinha não fosse a solução, sabíamos que ela poderia ajudar. Nós nos concentramos em como dar às pessoas a escolha e a flexibilidade de que precisavam para ter êxito nessa nova realidade", explicou.

Tecnologias assistivas

Avni conta que, para dar suporte às escolas com aprendizado híbrido, a equipe precisou ouvir líderes escolares e lançamos dezenas dos recursos mais pedidos por eles nos produtos: redação inteligente, correções automáticas, citações integradas. Para trazer mais integração às escolas, ela ainda conta que foi lançado o Google Tarefas no G Suite for Education, e o Google Classroom passou a ser disponível em vários idiomas.

Além disso, para apoiar os professores conforme se adaptavam ao ensino virtual, a equipe lançou o "Ensine de onde estiver", em parceria com a UNESCO, com direito a disponibilização de treinamentos e guias de produtos. Um guia para pais com tutoriais sobre as ferramentas também foi lançado. "Soubemos que eles estavam com dificuldade para compreender todas as ferramentas que os filhos estavam usando na escola", explicou. No que diz respeito aos alunos em si, a equipe adicionou novos recursos de acessibilidade ao G Suite e aos Chromebooks, como legendas ao vivo no Google Meet e no Google Apresentações.

A líder da equipe do Google for Education ainda citou tecnologias assistivas potencializadas pela inteligência artificial e pelo aprendizado de máquina para possibilitar a identificação em tempo real, em que alunos em risco estão tendo dificuldades, ou o fornecimento de assistentes virtuais que ajudam a criar planos de aula e dar notas a trabalhos escolares, fazer recomendações inteligentes e elaborar aulas diferenciadas de acordo com as necessidades individuais de alunos específicos. Confira os principais anúncios feitos durante o evento Learning with Google:

Google Classroom

Google anuncia novidades para o Classroom durante evento (Imagem: Divulgação/Google)
Google anuncia novidades para o Classroom durante evento (Imagem: Divulgação/Google)

O Google Classroom vai permitir o acesso também offline ao aplicativo em celulares Android. Os alunos poderão começar o trabalho, abrir anexos do Drive, escrever tarefas no Google Docs - tudo sem depender de uma conexão estável. Ao final, os estudantes passam a poder enviá-las assim que estiverem on-line. Os educadores poderão ainda ver estatísticas de engajamento relevantes para ajudá-los a entender como os alunos estão interagindo com o Google Classroom, como quais alunos visualizaram um curso ou enviaram uma tarefa.

Serão lançados ainda este ano recursos que permitem que os professores integrem suas ferramentas e conteúdos favoritos de terceiros diretamente na interface do Classroom. Ainda em 2021, chegam novas funcionalidades para o upload de fotos de tarefas em papel, isso inclui combinar fotos em um único documento, recortar ou girar fotos e melhorar a iluminação.

Google Meet

Gestores e educadores passam a ter mais opções para definir políticas de quem pode participar das videochamadas da escola. Por exemplo, definir se pessoas de fora da organização, como um palestrante externo, podem participar de videochamadas organizadas pela instituição. Enquanto isso, professores devem passar a ter mais controle sobre as salas de aula virtuais, incluindo a possibilidade de encerrar reuniões para todos os alunos e a opção de facilmente silenciar todos os participantes de uma só vez. Reações de emojis no Meet também estão chegando este ano.

Chromebook e acessibilidade

O Google também anunciou o lançamento de mais de 40 novos modelos de Chromebook desenvolvidos para a educação, com informações sobre como escolher os mais adequados para as necessidades específicas de cada escola, além da chegada de novos recursos de acessibilidade, como cursores coloridos nos Chromebooks e acesso ao Switch, permitindo que os alunos aprendam com ferramentas que atendem às suas necessidades.

Novas políticas de armazenamento

Google anuncia mudanças de armazenamento (Imagem: Mitchell Luo / Unsplash)
Google anuncia mudanças de armazenamento (Imagem: Mitchell Luo / Unsplash)

A empresa ainda anunciou, no evento, que conforme passou a atender a mais escolas e universidades a cada ano, o consumo desse armazenamento também acelerou rapidamente. Segundo o Google, o armazenamento não está sendo consumido de forma equitativa e gestores escolares muitas vezes não têm as ferramentas de que precisam para gerenciá-lo. Para apoiar as escolas no futuro e garantir a distribuição mais equilibrada deste recurso, vai implantar um novo modelo de armazenamento em pool e ajudar administradores e líderes escolares a gerenciarem seu armazenamento. Não será preciso fazer nada agora: essa atualização deve impactar menos de 1% dos clientes.

O novo modelo fornecerá a escolas e universidades uma linha de base de 100 TB (terabytes) de nuvem compartilhado por todos os usuários dessas instituições, o que, de acordo com o anúncio, contempla mais de 100 milhões de documentos, 8 milhões de apresentações ou 400 mil horas de vídeo. A política entrará em vigor em todas as edições do Workspace for Education para novos clientes no fim de 2021 e para os que já são clientes em julho de 2022. Antes disso, o Google vai fornecer ferramentas e treinamentos para identificar e gerenciar como o armazenamento de cada instituição está sendo usado e alocado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: