Mercado fechará em 1 h 16 min

Leandro Narloch lamenta demissão da CNN: "Não sou nem fui homofóbico"

Leandro Narloch na CNN Brasil. Foto: reprodução/YouTube

Com um post nas redes sociais, o comentarista Leandro Narloch lamentou ter sido demitido da CNN Brasil. Criticado por associar homossexuais à promiscuidade e à disseminação do vírus HIV durante participação ao vivo esta semana, ele afirmou ainda que não é homofóbico.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

“A cultura do cancelamento me pegou. A CNN informou agora que, depois da polêmica desta semana, decidiu rescindir o meu contrato. Lamento pelo motivo. Não sou nem fui homofóbico, tenho horror a homofobia e concordei explicitamente com a doação de sangue por homossexuais”, comentou em publicação feita na tarde da última sexta-feira (10).

Leia também:

No tuíte, Narloch classificou o episódio de “histeria” e minimizou as falas consideradas preconceituosas, no que chamou de “pequenas discordâncias”.

Durante a transmissão, em que comentava o novo protocolo da Anvisa, que derrubou a restrição à doação de sangue feita por homens gays, o comentarista usou termos como “opção sexual” e afirmou que a prevalência do HIV se daria entre essa população.

Narloch concluiu o texto sobre sua despedida da emissora prometendo se estender no assunto.

“Agradeço a todos da CNN e a amigos que expressaram apoio e tristeza pelo que ocorreu. E já antecipo anúncios dos próximos dias: um curso contra a cultura de cancelamento, temas 'sensíveis' e ideias proibidas, e uma frente para preservar a diversidade ideológica e a liberdade do debate”, encerrou.