Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.141,71
    -1.500,38 (-2,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Le Postiche entra em recuperação judicial após impacto da pandemia

ISABELA BOLZANI
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Le Postiche, rede de lojas de bolsas e acessórios voltada para o varejo, entrou em recuperação judicial. O pedido foi processado na última sexta-feira (30) pela Justiça de São Paulo, pela juíza Andrea Palma.

As dívidas registradas no processo são de R$ 64,6 milhões. Os principais credores são locadores de imóveis das lojas, bancos e fornecedores.

Segundo o advogado da Le Postiche no processo, Julio Mandel, da Mandel Advocacia, os impactos trazidos pela pandemia na queda das vendas foi o principal motivo para o pedido de recuperação judicial por parte da companhia.

Os principais produtos da companhia são malas de viagem, bolsas e mochilas escolares.

"Sem as aulas presenciais e com o turismo praticamente suspenso, houve severa retração no faturamento, agravado pelo fechamento ou redução de atividade nos shopping centers, locais onde a empresa concentra a maior parte das suas vendas", afirmou o assessor jurídico da empresa em nota.

"Os credores parceiros, bem como a maior parte dos shoppings, funcionários e bancos apoiaram a empresa, mas depois de mais de um ano de pandemia foi necessária a recuperação judicial como forma de proteger os ativos da companhia e dar segurança jurídica em seu processo de reestruturação e pagamento organizado dos credores", completou Mandel.

Segundo o advogado, apesar do resultado reduzido em 2020 pela pandemia do coronavírus, a empresa já vinha reduzindo custos e aprimorando seus processos de gestão de produtividade.

"A empresa está otimista com sua recuperação. Além de ser uma companhia muito tradicional, com marca forte, diretoria e funcionários unidos e bom nome do mercado, a empresa está confiante de que com a vacinação e a volta da atividade econômica e com uma demanda reprimida por seus produtos e apoio dos credores, haverá uma rápida e eficiente recuperação", afirmou o advogado.

Os assessores jurídicos, pela Mandel Advocacia, e os assessores econômicos, pela Corporate Consulting, já vêm estudando qual a melhor forma de reestruturação e já debatem o plano de pagamento com os credores da Le Postiche.

A previsão é que a empresa finalize o plano de recuperação em até 60 dias.