Mercado fechado

LDU 4 x 2 São Paulo - linha imaginária

Mauro Beting
·2 minutos de leitura
Fernando Diniz e um São Paulo indirigível e indigesto - FOTO Alexandre Schneider/Getty Images
Fernando Diniz e um São Paulo indirigível e indigesto - FOTO Alexandre Schneider/Getty Images

Igor Gomes saiu jogando no risco com Hernanes que foi desarmado e a LDU marcou o segundo gol, com Julio, aos 35.

Aquela saída apoiada que nem sempre pode ter o apoio do bom senso. Por mais qualificados que sejam os dois, melhor dar um bico pra longe do que dar o segundo gol de graça e sem graça ao bom time equatoriano. Ainda melhor nos 2.800 metros contra um São Paulo desfalcado de Daniel Alves (que precisa ser mais esperto neste momento), do goleador Luciano (que tem sido importante demais nesta fase), e do São Paulo que a América conhece mas não tem reconhecido desde 2012.

O jogo era igual até Martínez marcar bonito de cabeça quando ninguém encostou no cruzamento, ninguém chegou perto no autor do gol, e aos 21 minutos parecia que a Libertadores tinha acabado para o São Paulo. Como a pá de cal foi o contragolpe letal que deu no terceiro gol, no final da primeira etapa, quando uma linha de passe equatoriana não foi imaginária. Foi fato. E ficou feio para o São Paulo que desparafusou de novo com um reles gol rival.

Claro que Diniz é o responsável até anímico do time. Mas não é só ele, e não é só agora. Não pode só o treinador pagar o Pato, o Leco, o Tréllez, o Daniel Alves, o Raí, o Lugano, o Hernanes, e alguns muito menos qualificados que não conseguem sustentar uma equipe de um clube que tem se perdido. E também tem levado azar. Só ele foi à altitude de Juliaca. Mas só isso é nada para justificar mais um insucesso premeditado e provável de um São Paulo que no BR-20 tem mais pontos do que futebol.

E na Libertadores tem história mas não tem tido futuro.

Na segunda etapa, Boia foi dar velocidade pela esquerda, Brenner do outro lado. E até mandou bola na trave. E a dupla diminuiu o placar, aos 14, quando Boia cruzou e Brenner marcou bonito. Made in Cotia. Mas tem muita coisa mal feita no Morumbi que não tem jogo.

De novo foi pouco. Como de velho e de velhacos tem se dado mal o São Paulo.

(Teve mais um golaço da LDU, de Arce, quando o sistema defensivo tricolor de novo assistiu ao rival. E assistiu no sentido de ajudar o próximo. E teve até gol do Tréllez. Um golaço, aliás, depois de ficar em jejum desde setembro de 2018).