Mercado fechado

Lazard vê segunda onda de crise puxada por empresas sem caixa

Sonali Basak

(Bloomberg) -- O diretor-presidente da Lazard, Ken Jacobs, cuja empresa trabalha em algumas das maiores reestruturações do mundo, vê mais problemas pela frente, mesmo com a reabertura das economias.

“A segunda onda deve começar em algum momento deste verão para empresas que não têm dinheiro suficiente para sobreviver”, disse Jacobs em entrevista nesta semana.

Jacobs compartilha a opinião de seu vice, Peter Orszag, segundo o qual pode haver pedidos de recuperação judicial em cascata se o governo dos EUA não aumentar os estímulos. O governo do presidente Donald Trump planeja um pacote de alívio de US$ 1 trilhão, disseram pessoas com conhecimento do assunto. O valor equivale a cerca de 30% do montante da rodada anterior.

Com 40 milhões de americanos com pedidos de seguro-desemprego, “isso realmente começa a infectar o resto da economia e sua capacidade de se recuperar”, disse Jacobs. Empregos de colarinho branco são os próximos a serem afetados, de acordo com análise da Bloomberg.

Líderes de Wall Street, como Jamie Dimon, CEO do JPMorgan Chase, e John Waldron, presidente do Goldman Sachs, manifestaram preocupação com o potencial da recuperação econômica.

“Eu simplesmente não acredito que vamos ter um interruptor de luz” com o qual a economia será reativada quando as empresas reabrirem, disse Jacobs.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.