Mercado fechado

Lava Jato: 'Bolsonaro está fazendo tudo parecido com PT', afirma Janaina Paschoal

João de Mari
·2 minutos de leitura
“O meu temor é que esteja havendo um movimento, novamente, para que forças do mal se unam para que nós não possamos punir quem tem que ser punido hoje e no futuro”, disse Paschoal (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
“O meu temor é que esteja havendo um movimento, novamente, para que forças do mal se unam para que nós não possamos punir quem tem que ser punido hoje e no futuro”, disse Paschoal (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Em entrevista ao Yahoo! Notícias, nesta sexta-feira (9), a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está “fazendo tudo parecido com o PT” no que diz respeito as ações “contra impunidade” e ao sentimento “anti-Lava Jato”.

“No PT, era incontestável que tinha corrupção e por isso acredito que hoje não estaríamos em uma situação melhor. Mas aí eu vejo um presidente eleito com a fala de fortalecimento do combate à corrupção se cercando de juristas que sempre deram suporte ao PT. Bolsonaro está fazendo tudo parecido com o PT”, ressaltou.

Paschoal ainda citou a nomeação do desembargador Kassio Marques ao Supremo Tribunal Federal (STF) como um exemplo da aproximação de Bolsonaro com o petismo, pois segundo ela, além de trair a pauta anticorrupção, o presidente nomeou uma pessoa que “não defende os valores de quem o elegeu”, o que ela chamou de “pautas de costume”.

Leia também

“Li um texto [do Kassio Marques] sobre cultura indígena e previdência dando sinais de que ele entende que é natural meninas de 12 anos transarem com adultos. Quando vi a nomeação pensei: para salvar o filho [Flávio Bolsonaro], ele vai colocar alguém no Supremo que defende a legalização do aborto?”, afirmou.

A deputada cravou que não existe corrupção no governo Bolsonaro, mas não escondeu que o filho mais velho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) está envolvido em diversas investigações.

“O meu temor é que esteja havendo um movimento, novamente, para que forças do mal se unam para que nós não possamos punir quem tem que ser punido hoje e no futuro”, disse.

Por fim, ela destacou que a Lava Jato foi importante para o Brasil e comparou os processos ao impeachment da ex-presidente Dilma (PT), no qual foi uma das autoras do pedido.

“Vejo que todo processo foi importante para ter um pais melhor, como a Lava Jato foi e ainda é. Parte do meu trabalho é seguir cobrando essa atuação. Não podemos compactuar com a ideia de vistas grossas a desvios, a fraudes, só para um grupo se manter no poder”, disse.